Durante Flamengo x Grêmio neste sábado eu lembrei desta música algumas vezes.  O Flamengo continua em alta, invicto, tocando a bola e evoluindo. Time maduro, não muda seu jogo com 3×0 contra, nem com 2×0 a favor.  Toca, espera, não se desespera e sabe que, com a posse de bola, tem talento pra achar o gol a qualquer momento.

O Grêmio foi ao Engenhão pra marcar o Flamengo. Marcou, até os 25. Tomou o gol. Mas continuou marcando. Tomou outro e marcou até o fim. Dois a zero, e o Grêmio ali, fiel a sua má vontade.

Custo a entender o que o técnico do Grêmio disse pro time no vestiário. Algo como: “Não saiam daí! Não importa o que aconteça, fiquem na defesa!”.

O time entrou pra marcar o Flamengo, só. Fez, e bem feito.

O Flamengo fez o mesmo que na Vila. Tocou, esperou, só que hoje não sofria ameaça alguma.  Quando fez 1×0 num lance de talento do seu ataque, pensou que teria espaço e que o jogo mudaria.

Não, o Grêmio se recusou.

Vem pra cima! Vou não!

Não quer ganhar? Quero não.

Vocês podem jogar de igual pra igual! Posso não.

E pensando assim, ficou ali, marcando o Flamengo, sem ameaçá-lo, apenas evitando perder de mais.

Eu entendo que o time é fraco. Não entendo, porém, qual o benfício que se tira de estar fechadinho perdendo de 1×0…

O Flamengo, frio e maduro, não tem nada com isso. Teve suas chances, em 2 delas matou, e segue firme na briga pela liderança. Mais do que isso, segue convencendo sua torcida de que é um time com cara de campeão.

Em jogo de um time só, venceu adivinha quem?

abs,
RicaPerrone