Tenho um amigo muito vascaíno. Mas é muito. Não, não é o que você está imaginando. É um pouco mais do que isso. Seu nome é Marcelo Vital. Muita gente o conhece no Rio de Janeiro, ele promove eventos muito bons.

Enfim.

Numa noite dessas qualquer sentado num bar da Olegário ele me diz as seguintes palavras.

“Rica, o time do Vasco de 2000 era melhor que o Flamengo de 81”.

“Você é louco!”, respondi.

Óbvio! Como que um time pode ser melhor que o Flamengo campeão do mundo?

Ele seguiu.

– Rica, eu presta atenção. Não estou dizendo que ganhou algo a mais, disse que no papel o time era melhor.
– Vai se fuder, Vital!
– Cara, presta atenção no elenco…
– Você é louco!

Minutos depois ele voltou no tema.

“Pergunta no seu blog quem foi melhor”.

– Porra, óbvio que vai dar Flamengo. Se fosse Flamengo de Walter Minhoca e Vasco de 2000 eles votariam no Flamengo. Mas só de colocar isso lá vai soar um absurdo!
– Mas não deveria.
– Porra, Vital! Os caras ganharam o Mundial!
– Mas o time do Vasco individualmente era melhor. Pode olhar.

Me neguei a seguir a discussão. Até que outro dia ele voltou no assunto.

“Rica, já comparou o Vasco de 2000 com o Flamengo de 81?”

– Porra, Vital! De novo essa merda?

Mas estava de bom humor. Deixei ele falar dessa vez.

– Edmundo e Romário, com Viola e Euller de opções. Acho um ataque melhor que Nunes, Tita, Lico… não?
– Tá, pode ser…
– Adilio, Andrade e Zico é muito bom. Mas Juninho Pernambucano, Juninho Paulista, Ramon e Pedrinho também não dá pra descartar. No mínimo mais opção tinha.
– Tá, mais opção sim…

Vendo que poderia haver argumentos, interrompi.

– Mas tinha o Zico, caralho!
– Eu tô falando que tinha mais material, não que tinha o melhor jogador. O Vasco tinha Mauro Galvão, Jr Baiano e Valber na defesa.
– Puta zaga.
– Tinha Leandro e Junior? Não. Mas tinha Jorginho e Felipe.
– Ok. Bons nomes, mas perde.
– Agora me diz se eu não citei pra você mais jogadores fora de série do que o Flamengo de 81?

Pensei. Quis agredi-lo, mas ele tinha um ponto.  Na lista do elenco do Vasco de 2000 havia pelo menos 2 gênios. Romário e Edmundo. No restante do time ele tinha, em cada posição, pelo menos um jogador de seleção brasileira.

O Flamengo era campeão, muito forte, com 3 mitos, Zico, Leandro e Junior. Talvez o Mozer, que eu particularmente adorava. Mas ele tinha 3 zagueiros fora da curva.

Chegamos a um acordo.

“Elenco, ok! Elenco, ok! O Vasco era melhor”.

Ele já ficou envaidecido. Mas arrogante, queria mais. Dias depois veio e disse: “Rica, pegando os 11 melhores… sei não…”

– Porra, Vital! De novo?!
– Não, só estou dizendo que tinha mais jogadores acima da média do que o Flamengo de 81.
– Então ganharia se jogassem contra?
– Não sei se um jogo. Mas num campeonato longo sem dúvida. Olha os bancos, porra!
– Ok, ok. Acho que sim.

Passados meses, nunca mais discutimos tal assunto. Mas nunca me saiu da cabeça se havia ali um torcedor maluco ou um ponto não midiático curioso que não menospreza ninguém. Ao contrário. São dois times absolutamente surreais.

Mas … de fato, se você olhar os dois times o Flamengo conquistou mais do que se esperava e o Vasco menos. Ainda que tenha ganhado Brasileiro e Sulamericana. Além do vice na Copa Band/Traffic 2000 chamada de Mundial após alguns anos.

Então coloquei a pesquisa no meu instagram. Deu Flamengo, 60/40 (até agora).  Óbvio, mas com margem discutível.

Hoje eu sou capaz de concordar, no mínimo, que é discutível. O que me faz repensar todos os dias o sentido das redes sociais. Fosse numa delas haveria um diálogo simples:

– O Vasco de 2000 é melhor que o Flamengo de 81.
– Voce é doente.
– Doente é teu cu.
– (alguem com imagem de pipoca pra ver a treta)
Block.

Fim.

Viva o boteco. Até porque é lá que direi, talvez hoje, que o Flamengo de 87 também era melhor que o de 81.

#paz

RicaPerrone

Compartilhe!