A decisão do estadual é reflexo de um campeonato estúpido de regulamento confuso e de clubes que brigam eternamente por uma fatia maior de um bolo pequeno ao invés de aumentar o bolo.

Flamengo e Vasco jogaram uma decisão pra 10 mil pessoas e isso não abre qualquer espaço para defesa do que foi feito.

Embora os dois times tenham parcela de culpa na tragédia estadual que é o campeonato local, neste o Vasco saiu perdendo bem mais.

O jogo no Engenhão é injustificável. É birra, é “euriquismo”. Vontade de “dar respostinha” pra torcedor falar grosso no bar segunda. Mas e aí? O Vasco não tá precisando da grana de uma casa cheia? Até onde sabemos…  estava.

Opção errada. Opção populista. Marketeira. Quem também sempre bateu no peito pra “não querer o Maracanã” foi o Vasco. Que diabos irrita tanto o clube agora?

Qual a diferença entre estar nas mãos da empreiteira em acordo com Fla e Flu e direto com Fla e Flu pro Vasco? Vai pagar aluguel pra jogar lá do mesmo jeito e não vai ter como ser o administrador dele, ué.

Não precisava de tanto, nem estragar a própria renda. Perdeu o jogo, o dinheiro e possivelmente o título. Embora eu não ache 2×0 um resultado tão absurdo assim de virar. Acho pela forma que o Vasco joga, não pelo placar em si.

O Flamengo entrou com Arrascaeta e deu certo. A torcida queria na vaga do Arão, o Abel foi mais conservador e funcionou.

“Poderia ser 3×0 não fosse o juiz!”. Discordo. Gol bem anulado. O zagueiro do Vasco não domina a bola e tenta um lance. Ele tenta impedir o lance anterior e não consegue. Não vejo ali inicio de nova jogada nenhuma.

Mas, como esperado, o ambiente de “não clássico” determinado pelo Vasco ao escolher no Engenhão é fator relevante no jogo de time mais forte x mais fraco. Não houve equilíbrio de camisas em campo “neutro” sem torcida. Não houve atmosfera de final. Aí o pragmatismo toma conta do futebol e ele se torna bem mais previsível.

O Vasco fez tudo errado neste domingo.  Mas há outro domingo.

RicaPerrone

Compartilhe!
  • 925
    Shares