Eu posso compreender que uma parte das pessoas ache ruim a demora do VAR ou mesmo o anticlímax de um gol em observação.  Posso entender que discorde-se da forma com que ele é feito, da demora, até mesmo de alguns critérios. Mas não posso aceitar que a busca por algo mais honesto seja combatida.

O expulso que não agrediu, o agressor que seguiu no jogo “malandramente”. O impedimento que resolveu o campeonato, a bola que entrou ou não.   O VAR está ali pra corrigir erros grosseiros e decisivos. E sim, ele vai demorar pra se adaptar. O tempo que demora por exemplo eu acho um absurdo.

Mas eu acho mais absurdo que aos 47 um time seja eliminado contra as regras e perca um ano de trabalho.

Aceito? Aceito. Porque o erro é do jogo. Mas a agressão não é, e o VAR está fazendo com que os socos fora do lance saiam de cena. Jogador pode ser impulsivo mas nem sempre é burro. Se der, vai ser expulso. E isso é óbviamente bom.

O futebol grita pelo tempo corrido, ou seja, o fim da cera. E clama por mais espaços, que poderia ser a limitação do impedimento a área por exemplo. Mas antes disso ele clamava por um pingo de vergonha na cara. E o VAR nos dá essa opção.

Você não achou pênalti? Ok. Nem eu. Mas é interpretativo. A discussão do dia seguinte vai continuar existindo. O que você e eu não podemos é achar que o gol do City estava regular e eliminaria um dia histórico pro adversário.

Não me espanta que esse choro contra o VAR venha de pessoas que por coincidencia relativizam a justiça em outras áreas, como na busca pela liberdade de criminosos e valorização de gangues que lhes interessam.  Mas me assusta que isso seja colocado de forma tão aberta sem que haja uma reação de espanto.

O próximo soco na cara sem bola será punido. E se isso pra você é uma questão, eu acho que a questão é você.

RicaPerrone

Compartilhe!
  • 55
    Shares