FlamengoVasco

“Tem que respeitar meu tamborim”

Rubro-negro “não entende”.

Entende, sim. Só finge que não.

A euforia do Vasco é vosso atestado de competência, ora pois.  Divirta-se com ele.

E o jogo de hoje é a redenção de uma torcida, uma lição e um alerta.

Vascaíno está cagando pro ponto. Ele está eufórico pela identidade.

O favoritismo dado ao Flamengo hoje pela mídia é desproporcional a história do futebol brasileiro. Desrespeitosa até.

E ao ver o seu time dizer “aqui, não!”, é muito mais do que 3 pontos.

Não pela bola, que foi ótima no primeiro tempo. Mas pela forma. Atacou, brigou, bateu, apanhou, e em momento algum olhou pro Flamengo como um time inferior.

Era isso que o torcedor do Vasco queria. Só isso.

O rubro-negro queria a goleada. E ao deseja-la esbarrou na história.  Mesma história que tantas vezes impediu suas quedas, hoje impediu um roteiro otimista ao extremo que chegava a pagar 9 em casa de apostas para vitória do Vasco.

Onde estamos? Na Espanha? Em Portugal? Onde que um clássico tem um time com 10% de chances de vencer apenas?

Flamengo sai honrado. O Vasco, honrando.

O nosso futebol, respirando.

RicaPerrone

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar