Imagine um acidente bobo de trânsito.  O rapaz bate na traseira de um carro, desce todo educado e cheio de culpa. Pede perdão, dá o telefone, diz que