Enquanto a gente discute por 2 horas na tv se Pablo é “o” ou “a”, muitas coisas “irrelevantes” acontecem a nossa volta. No país onde se proíbe o