Nem genial, nem comum. Chamar de “útil” seria menosprezo. De craque um exagero. Carlos Miguel é uma daquelas peças de pouco marketing e que se faz fundamental para