Em 2003, numa conversa informal entre dirigentes e sócios do clube no São Paulo, alguém me disse: “Esse Leonardo não vai dar em nada. Muito tímido, não se enturma, vive na dele. Esquece!”. Eu não entendi exatamente o quanto sua timidez determinava aquela avaliação, mas perdi as esperanças no lateral do meu time.  Ele saiu,...Read