Home » + Chamada » Sim, é possível discutir

Sim, é possível discutir

Vou comparar com algo mais simples e próximo: Quem foi melhor, Raí ou Socrates?

Qualquer pessoa que viu os dois, o que exclui por completo essa geração de fãs de esporte que são 90% da web e portanto distorcem qualquer pesquisa virtual a respeito, dirá que o Socrates era mais talentoso, o Raí mais jogador.

E então a pergunta se torna interpretativa. Afinal, pra você, o que é ser melhor? Dirão que preferem ter os títulos do Raí. Mas a pergunta não é o que você prefere ter. É quem foi melhor.   Ser melhor é brilhar mais individualmente num esporte coletivo ou ser parte de um coletivo vencedor?

Todas as idéias sobre são válidas, porque não se trata de uma ciência exata. Apenas de uma pergunta de bar, divertida, sem consequências, logo, banal.

O que o Renato talvez tenha dito é que se você jogar uma bola no peito dos dois, na melhor fase, o Renato dominaria mais fácil. E concordamos. O Renato tinha mais talento NATURAL que o Cristiano.  O que não quer dizer tudo, já que o Messi também tem e com treino o Cristiano se igualou a ele.

Números no futebol são biquini. Mostram tudo menos o que interessa. Logo, foda-se quantas bolas de prata ganhou um, quantas bolas de ouro ganhou outro. Estamos falando de uma década onde ser o melhor do Brasil era consideravelmente superior a ser o melhor da Europa.

Porque hoje alguém discute “ele não deu certo na Europa”  sobre o Renato?  Seria como dizer que o Van Basten não é tudo isso porque não jogou no Boca.

Os dois com 19 anos, o Renato era melhor. Com 30 anos, o Cristiano se tornou melhor.  Não pelo que ganhou, porque joga numa potência absurdamente desigual com seus adversários, mas porque chegou perto do limite do seu tempo.

O que o Renato tem em mente, imagino eu, é o seguinte: Se eu treinasse o que ele treina hoje, no time que ele tem hoje, eu seria melhor que ele.

E sim, seria.

Mas não é o caso. Então não tem como apagar o que fez o Cristiano Ronaldo e toda a mídia que existe hoje em cima dele pelo que imaginamos que poderia ser caso, talvez, quem sabe, fosse assim com o Renato.

Assim sendo, é uma hipótese contra um fato. O Cristiano foi melhor.

Mas por incrível que pareça, por mais incoerente que seja, se me der os dois num par ou ímpar… eu escolheria o Renato.

Sou apaixonado pelo talento natural. Respeito demais o treino, o mérito é ainda maior. Mas eu sou daqueles que ficava vendo o Djalminha jogar e achava ele muito melhor que o Kaká. Mas quem foi além? Quem fez mais? Quem tornou real? O Kaká.

Mas… a pergunta não é quem foi além. É quem foi melhor. E aí você decide o que é “melhor”, se o que conquistou ou se o que fez com a bola.

Eu não acho o Cafu melhor que o Leandro. Mas …

abs,
RicaPerrone