Não quero fazer disso uma “denúncia”, uma “polêmica” nem uma reflexão profunda sobre profissionalismo. Na verdade, assim como entendo perfeitamente a entrega no final dos pontos corridos, entendo também o que comentarei neste post.

Muita gente não entende porque diabos um time grande não pega um desses absurdamente pequenos no jogo de ida da Copa do Brasil e atropela de uma vez?

É claro que se o SPFC forçar metade do que sabe faz 12 x 0 no tal do Independente. Se o Fogão quiser, tira o Treze logo no jogo de ida e o mesmo vale pro Palmeiras.

Valia pro Santos, que mesmo voando também não eliminou todos os jogos de volta possíveis na Copa do Brasil 2010, e não é difícil notar os motivos que fazem o jogo de ida ser, digamos, mais “leve”.

Pensa comigo.

Jogador não gosta de treinar, gosta de jogar. Se ele elimina o jogo de volta, treina em 2 periodos a semana toda, pois ela estará livre. Se tiver o jogo de volta, no entanto, ele faz rachão terça, joga quarta, recuperação muscular quinta e só treina de fato na sexta, e em 1 periodo só, diga-se.

Além da notável facilidade em fazer uma goleada histórica em casa, consagrar atacante, melhorar a fase, chutar a crise e fazer a torcida achar que torce pro Barcelona brasileiro.

Pra que eliminar o jogo de volta se ele faz bem ao clube, ao visitante, aos jogadores, ao técnico e a imprensa, que terá outro jogo pra passar na semana seguinte?

É só ser prático. E na prática, sabemos, a teoria é outra.

abs,
RicaPerrone