Flamengo

Riascos e as crianças

Quando o Flamengo entrou em campo domingo ele tentou explodir sua torcida a seu favor.  A idéia da bandeira, da entrada sem protocolo, etc, é tudo muito legal.  Eu mesmo na hora achei divertidíssimo.  Mas de fato havia as crianças.

Crianças que foram ignoradas por uma atitude que, legal ou não, quebrou o combinado.  Fosse uma entrada em campo seguida de uma explosão da torcida e um gol no começo, as crianças não seriam notadas até hoje. Mas Riascos zelou por elas.

Toda a tentativa do Flamengo de entrar num clima de decisão acabou ali. Dali pra frente o time correu o que dava, tentou o que era possível e tudo bem.  Mais um jogo, mais um clássico, mais uma derrota. Tanto faz.  Aliás, o Flamengo hoje é um time que “tanto faz”.

Mas para as crianças, não é “tanto faz”.  Fazia toda a diferença dar as mãos a um “herói”.

Erraram. Não na idéia, mas na execução. Poderiam ter combinado com as crianças, dado algo a elas, levado no vestiário e compensado antes da entrada em campo. Falta dialogo entre futebol e marketing no Flamengo.

Agora, sejamos justos.  Não fosse Riascos, um gol do Guerrero com 15 minutos, quem se importaria com as crianças?

abs,
RicaPerrone

Rica Perrone

Rica Perrone é jornalista, escritor, empresário, blogueiro, youtuber, radialista e craque no Fifa. Odeia os pontos corridos, não chama time europeu de "meu" e acha que futebol é entretenimento. Quer mais?  Tá tudo aqui, ó! 

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios