É o momento mais emblemático de todos. Um jogador que sonhou a vida toda em chegar na seleção e ser titular do Flamengo. É evidente, embora não aceitem os fanáticos pouco informados sobre mercado, que estar na seleção o valoriza mais.

Mas é a sub-17! Sim, é assim que os europeus gostam. Mais novo, ainda sem estourar. É mais barato.

O campeonato é em Brasília, terra dele. O garoto vai jogar um mundial na terra de seus amigos, parentes, etc. Ele quer muito, é óbvio.

Mas ser titular num Fla-Flu também é algo que esse garoto sonhou. E a CBF não tem duas opções pra ele.

O clube se banca e diz que ele fica. A CBF não aceita. O clima pro menino fica ruim na entidade que comanda a seleção e, sim, ele tem voz. Mas se usa-la ficará queimado.

Que cenário devastador pra honra do nosso futebol. Uma jóia que alcança dois objetivos e tem que odiar ter feito isso porque graças a seu bom desempenho ele desagradará seu clube ou sua seleção. Sabendo que  no futebol ninguém é muito correto e portanto qualquer posição que tome acarretará em represálias.

Mudo, ele assiste amargurado sua vida ser decidida por politica. E seus sonhos de garoto serem disputados como se pertencessem a terceiros.

Veja você, torcedor. Nosso futebol chegou ao dia que o garoto não sabe se preferia não ter sido convocado ou estar no banco sem ser utilizado pra que possa realizar um sonho.

RicaPerrone

[instagram-feed]