Home » Futebol » Quem é você?

Quem é você?

Eu passei horas tentando entender. Não entendi. Mas por lógica, descobri que o errado sou eu e que o Palmeiras só está na fase que está por mero azar.

Ontem o Kleber, que fez o que fez nas ultimas semanas, foi capitão do time, ovacionado pela torcida e ganhará aumento do clube.

Quando o clube diz o que disse ontem, nos resta calar a boca e aceitar.

Kleber parece ter feito tudo errado. Parece ter usado o Flamengo, parece ter sido desleal com o Palmeiras, parece não ter sido profissional, parece ter tentado ir embora, parece ter forçado a barra… parece.

O que temos de fato é que os envolvidos em tudo isso não enxergam como nós.

Se o Kléber estivesse errado, como todos acham que está, será que sua torcida o aplaudiria, o seu treinador lhe daria a tarja de capitão com Marcos em campo e sua diretoria daria um aumento?

Afinal, que diabos está acontecendo?

O Palmeiras enlouqueceu ou fomos nós, comentaristas?

Será que estão certos os fanáticos palmeirenses que acreditam ter na imprensa e no planeta terra um rival pro seu clube? Será mesmo que o Palmeiras vive o momento que vive por azar? Ou será por atitudes como essas, colocando torcida e clube aos pés de um jogador de caráter duvidoso, que faz uso de sua “garra” pra compensar sua técnica comum, uso de ofertas pra pedir “valorização”, que faz exames sozinho pra se dizer machucado, entre outros problemas conhecidos por todos?

Kleber repetiu ontem o que vem dizendo sem usar a boca. “Eu não mereço ir pro Flamengo, nem estar no Palmeiras”.

Fez essa palhaçada com o Cruzeiro, fez com o Palmeiras agora, traiu uma torcida que o idolatra (sabe-se lá porque, diga-se…) e uma diretoria que fez tudo pra tê-lo. O Fla, que ficou tentando contratá-lo, viu seu sonho de consumo ter uma atitude covarde, infantil e oportunista no fim do jogo.

Claro que pro palmeirense fanático o fair play não serve pra nada, o Kleber tem razão e dane-se o mundo. Mas…

Não diz respeito ao Palmeiras, nem ao Flamengo. Diz respeito aos jogadores em campo, ao código de ética mundial do futebol. E não, não estou discutindo o lance. Seja qual for a sua intepretação, se não há um acordo entre os dois times, pode até pegar a bola. Mas não fazendo cena e quase RESOLVENDO o jogo com isso. O problema não foi apenas a forma, mas sim onde, que horas e de que forma.

Que ética se espera de quem joga com o cotovelo na cara dos colegas há 10 anos?

Independente disso, independente do lance no fim, independente de tudo que aconteceu ontem. O Kleber pisou na bola FEIO com o Palmeiras e sua torcida nestas últimas semanas.

E o que ele ganha por isso? Geladeira? Demissão? Multa?

A tarja de capitão, aplausos da torcida e aumento salarial.

Tá explicado porque o Palmeiras gigante vive um momento não tão gigante há alguns anos?

Se não, aguarde. Ja já eles desenham pra você, de novo…

abs,
RicaPerrone