Corinthians

Pra sempre

Menino…

Você talvez não tenha idéia do que fez hoje, mas fez. Talvez sua carreira termine aqui, agora, sem que nunca mais você volte a aparecer sequer na tv. Talvez volte a um time pequeno, talvez o Corinthians perca semana que vem e ninguém nunca mais vai lembrar do seu gol.

Talvez.

Mas talvez não. É possível, bem possível, que seu gol seja apenas o terceiro passo de uma carreira que se não for fantástica já tera sido ao menos relevante.

História pra contar você tem, garoto. Pra 3 gerações, no mínimo.

Deve ter ouvido de nós, jornalistas caga-regra, que não era justo “jogar você pros leões aos 36 do segundo tempo”. Que não era momento de “endeusar um garoto por 2 gols num clássico”, e  de fato não é.

Te jogaram pros leões, e você os matou.

Leões que não são tão fortes quanto pensamos ser. Mas que para valorizar o nosso e ter o que falar, aumentamos. Você, por marra, talento, natureza ou estrela, os ignorou.

Não foi um gol. Foi um toque na bola que muito veterano não daria. Foi uma postura e um semblante ao entrar em campo que a maioria não teria.

Seu nome sugere, você confirma. Marra, personalidade, talento.

“Mas é só um garoto, calma aí!”

Sim, é isso. Pode não ser nada, não se tornar ninguém.  Sua carreira é vazia ainda, sua história mal começou.

Não faço idéia se estou me referindo a um craque ou a um sortudo qualquer que nunca mais acertará mais nada na carreira.

Mas hoje, garoto. Só hoje, você é o cara mais importante do mundo.

Pra quem torceu, pra quem secou.

Romário Ricardo da Silva.  Brasileiro, 21 anos.

O maior jogador do mundo.

Não? Então tente dizer isso a um corintiano nesta noite de quarta-feira.

Ele te explicará com os olhos que não existe discussão.

Ele é. Será por uma semana. Ou, quem sabe… pra sempre.

abs,
RicaPerrone

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar