O tal do Cañete, que virou solução de problemas sem ter mostrado nada ainda, está mais longe do Tricolor. E isso não é definitivo, apenas um impasse no acordo.

O SPFC, com postura bem  elogiável, está tentando mudar uma mania de alguns empresários, o que está dificultando o negócio. Eles costumam chegar nos clubes, vendem o jogador por X e pedem mais um pouco como “comissão”.

O problema é que, com razão, o SPFC está alegando que comissão quem paga é quem vendeu, não quem comprou. Logo, se o empresário é do Cañete, ele que pegue a comissão dele com o jogador, não com o clube.

Este tipo comum de negociação está tentando ser evitado no Morumbi. Assim sendo, empresários vão ficar bem irritados e tendem a dificultar as coisas.

No entanto, se unidos e menos burros, todos os clubes daqui agiriam igual.

A culpa não é do empresário apenas. Ele é oportunista, como todos eles são. A culpa é do jogador que assina pra um sujeito representá-lo comercialmente e acaba arrumando um pai.

Cañete, que não é ninguém, tem que ajudar e dizer pro empresário dele que a comissão já está paga no acordo que eles fizeram quando acordaram sua relação.

E esperamos que, neste caso, diferente do que vemos na maioria dos outros, o SPFC mantenha sua postura até o fim.

Quer dar comissão pra empresário, dê! Mas o cara ganhar 2 comissões é brincadeira.

Tá na hora de acabar.

E se o preço disso for ficar sem o tal do Cañete… grande porcaria.

abs,
RicaPerrone