Home » Futebol » Seleção » Placar pra cego

Placar pra cego

Brasil e Argentina fizeram um jogo espetacular. A seleção brasileira sub-23, com uma defesa dente-de-leite era presa fácil. E foi.

A atuação brasileira foi muito, mas muito acima do esperado e muito melhor que a deles. Fomos donos do jogo o tempo todo, chegamos diversas vezes, criamos nossas oportunidades em cima de lances nossos, não erros deles.

Fomos altamente prejudicados pela arbitragem que deixou de dar pelo menos 1 penalti escandaloso no Neymar, o que poderia ser 2×0 com 30 minutos, placar que seria merecido pela partida que jogavamos.

Em 2 lances achados, os únicos do mediocre time argentino, Messi ficou 2 vezes na cara do goleiro e fez os gols. Aliás, nos 3 gols, craque como é, soube finalizar. Não driblou ninguém, não fez fila porra nenhuma, é só história pra jornalista babar ovo. Correu reto, sozinho, como o Euller faria. Só que finalizou como Messi.

Sozinho, não. Com enorme auxilio da nossa defesa sub-20. Mas fez, e palmas pra ele.

Brasil, sub-23, contra o único jogador diferenciado da seleção argentina. Perdemos, por erros individuais, qualidade no arremate do Messi e também pelo arbitro, que errou várias vezes contra o Brasil.

O que fica, pra cego, é a derrota de 4×3 pra Argentina.

O que fica, de fato, é uma atuação muito superior do nosso sub 23 desfalcado contra o time principal da Argentina.

Cada um vê o que quer, quando quer, normalmente para menosprezar. Contra a Dinamarca, “uma baba”. Os Eua, “outra baba”. Perdemos para o México, e “este sim, joga muito”. Hoje, diante do time badalado e que considero um tremendo catadão com grife, um baile brasileiro durante os 90 minutos.

A questão é mais simples: O grande time da América do Sul é esse aí que tomou baile do sub 23 sem defesa do Brasil os 90 minutos?

Não a toa a imprensa questiona e persegue tanto a seleção. Nosso padrão é outro.

Comprovado, mesmo perdendo, que nosso time sub-23 desfalcado e usando uma defesa dente-de-leite com um zagueiro que não tem 10 jogos profissionais na carreira jogou mais, muito mais que a Argentina e seu timaço principal.

O time é esse.  Tape os ouvidos, Mano. Segue em frente porque o caminho do ouro está correto. A seleção sai de campo hoje com uma derrota que fortalece as teses vazias e os comentaristas de almanaque.

O 4×3 fica na história. O jogo foi outro.

Não merecíamos sequer um empate. Era pra ganhar, e bem. Mas não é justo cobrar de 2 moleques de 20 anos que parem Messi, Aguero e Higuain, badalados e experientes jogadores de Real Madrid e Barcelona.

A seleção jogou sua melhor partida desde a Copa de 2010.

E você pode se perguntar: Porque a Argentina está completinha e nós com o sub-23? É que a tal “super seleção” que a imprensa brasileira criou e alimenta até hoje, de novo, não vai pras Olimpíadas. Não classificou….

Nós vamos.

abs,
RicaPerrone

Comentários