Home » Sem categoria » Péssimo negócio?

Péssimo negócio?

Em 29 de maio, as 19h30, o São Paulo recebeu o Vasco no Morumbi. Cobrou seus ingressos padrão, o time ia bem até então, e teve um público de 8 mil pessoas com renda bruta de 200 mil. A liquida ficou em torno de 100 mil reais.

Com 20 reais a mais barata das arquibancadas, preço que considero até razoável para piso, o jogo valeu 3 pontos e não pagou o salário de um jogador como Oswaldo sequer.

Em 15 de agosto o São Paulo recebeu o Atlético PR, time menor que o Vasco, em crise, na zona de rebaixamento e com desfalques. Também as 19h30, e com valores promocionais para aumentar o público.

O valor muito citado pelo exagero era de 2 reais. Mas este ingresso foi consumido por apenas 1300 pessoas. Das 25 mil presentes, 17 compraram arquibancada cheia a 10 reais. Outras 5 mil, pagaram meia.

Não foi por 2 reais que levaram 25 mil ao Morumbi. Foi por 10.

A renda total foi de 269 mil

Pra casa, renda liquida, o SPFC levou 160 mil.

Eu nem considerei o fato de que 25 mil pessoas são mais do que 8 mil pra vender refrigerante, pipoca e tudo mais lá dentro, ta? Fui bonzinho.

Eu não fiz faculdade de economia, administração e nem os cursos de marketing do carinha la do Lance!.  Mas me parece meio razoável afirmar que com preços mais baixos (e nem precisa ir ate os 2 reais) mesmo com crise e um adversário fraco, o torcedor vai ao estádio.

E falamos daquela que tem a fama (justa por sinal) de não ser uma torcida participativa.  O Morumbi é longe, lembra?

Se não faz diferença no bolso um jogo a 60 reais ou 10, porque manter a casa vazia se cheia e mais barata lucra-se mais?

Num grande clássico compensa. Ok, coloque o valor mais alto no jogo mais interessante. Mas nos jogos comuns, grande maioria nos pontos corridos, porque se recusar a receber mais dinheiro e pessoas no estádio?

Acho que não foi um negócio tão ruim assim.

Botafogo e Inter, um dos melhores jogos do campeonato, teve 15 mil pessoas a um preço mínimo de 60 reais.

O Botafogo levou pra casa menos de 140 mil.

abs,
RicaPerrone

Comentários