Grêmio

Pedro Rocha e o cartão

Por favor, não confunda o foco. Eu sei que é regra, eu sei que o arbitro a cumpriu e que, diante da regra, Pedro Rocha está errado. Ponto.

O meu ponto é o quanto esse lance de hoje explica pra FIFA que ela não entende merda nenhuma de futebol.

Pedro Rocha tem 22 anos, passou pela base do SPFC e de alguns clubes medíocres. Chegou a Grêmio há mais de 2 anos como promessa, emprestado do Diadema, que é um clube que mal existe. Suas chances eram remotas.

Esse menino entra no Mineirão lotado, joga a final pelo time do Grêmio, uma das mais pesadas camisas que existem no planeta, e faz dois gols.  Ele tira o Grêmio de uma fila de 15 anos.  Lembre-se, ele tem 22 anos. Com essa idade 99% de nós jogava video game e no máximo estava sendo efetivado na porra do departamento da empresa.

O menino escreveu a história ao vivo pra todo país, em rede. E naquele exato segundo em que o garoto faz isso e se torna “alguém” pra história do futebol, a FIFA sugere que ele tenha auto controle e não exagere na emoção.

Senhores, é de uma falta de bom senso sem fim.  “Ah mas o patrocinador…”, problema do patrocinador com o clube e o jogador. Ninguém tem que estipular limite do gozo alheio por zêlo a terceiros.  O terceiro pode muito bem resolver isso sozinho.

É mole do seu pc querer avaliar que “ele sabe que não pode e por isso é burro”. Burro? O menino faz história, tira a família de uma situação, consagra um time, muda de vida e você quer que ele tenha cabeça pra saber que naquele exato segundo onde tudo isso aconteceu ele pode ou não tirar a camisa?

Irmão, se eu faço o que esse menino fez hoje, ou o que o Tinga fez em 2006, ou o Evair em 93, enfim… eu acho que pulo na arquibancada e não volto mais.  Vou expulso, preso, exorcizado, tanto faz! Mas me pedir controle no ponto alto da minha existencia?

É disso que se trata o futebol?

Pedro Rocha hoje nos exemplificou que as regras não são inteligentes quando tiram do futebol sua essência.  Quer ver algo contido e controlado vá assistir Golfe. Não estamos falando de um esporte. Estamos falando de futebol, que é muito mais do que isso.

Desculpe o cartão, Pedro. Você não estará na final que ajudou a resolver porque…. comemorou demais.  Se cuspisse no adversário, talvez levasse o mesmo amarelo. Afinal de contas, pra quem vê futebol pela tv, nunca viveu um gol no estádio aos 44, regras são regras.

Pra nós… não.

abs,
RicaPerrone

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar