Pane

A seleção brasileira teve, nesta sexta-feira, uma pane de 45 minutos que poucas vezes vi. Um primeiro tempo razoável, sem muita criação até em virtude da perda dos 3 principais articuladores do time, mas com chances até de sair vencendo.

O time vai pro vestiário nervoso, dando pontapés pouco necessários e volta absolutamente… ou melhor, não volta.

Acho prático e fácil dizer que SE entrasse fulano, melhorava. SE entrasse ciclano, arrumava. Quando na verdade o segundo tempo foi uma mistura de sono, incompetencia e covardia.

O sono dos brasileiros, que não buscaram nada diferente. Me arrisco a dizer que pensaram muito no fato de jogarem segunda e evitaram o desgaste.

A incompetencia dos passes errados. E ai, me desculpe, mas não tem Dunga. Nego errando passe de 2 metros não dá pra meter na conta do técnico quando são 8. Se fosse um ele tirava. Eram todos!

Poucas vezes vi um time voltar do intervalo tao displicente quanto o Brasil voltou hoje.  Todos os jogadores erraram tudo que tentaram.

Onde que o Daniel bate escanteio daquele jeito, onde que o Luis Fabiano passa 90 minutos parado entre os zagueiros… (estou sem interrogacao, alguns acentos).

Pela primeira vez vejo o J. Batista jogar mal na selecao. É sua primeira partida ruim, assim como Juan errou, Felipe perdeu o rumo, o Michel errou todos os lances, o Josué errou os passes, o Nilmar sumiu no jogo, etc, etc, etc.

Houve uma pane de 45 minutos das mais “se explicacoes”.

Primeiro do grupo, tudo bem, passam os 2 em virtude do que fez a Coreia, quando entregou o jogo pra Portugal e mudou a ordem natural das coisas. Talvez a Costa do Marfim tivesse chances nao fosse a presepada coreana no segundo tempo semana passada.

Mas, entre mortos e feridos, salvaram-se todos. O Brasil de 45 minutos grotescos quando podia, Portugal de atuaçao covarde e mediocre hoje.

Joguinho. Daqueles pra esquecer.

Ainda bem que erramos agora, quando podiamos errar.

abs,
RicaPerrone

Comentários