Home » Futebol » Clubes » Corinthians » Os improváveis

Os improváveis

É o Santos em campo, então vale a pena assistir. Essa é a ordem de quem gosta de futebol.  Time leve, solto, sem brucutu, sem jogador “alto e forte”, conforme sugerem ser fundamental alguns geniais treinadores.  Imprevisível, cheio de ginga, cheio de marra. Um time de futebol, que dá gosto acompanhar.

Do outro lado, um Corinthians que procura explicações: Porque a mesma formação de 2009 não funcionou? Será, então, um problema tático?

O desenho é simples.

O Corinthians volta ao sistema de jogo que deu muito certo em 2009. O Santos, mantém o seu esquema ofensivo de toque de bola rápido e técnico.

O Corinthians abre 2 jogadores na frente, o que prende os laterais adversários.

O Santos não precisa deles pra chegar no ataque, já que suas jogadas não necessariamente dependem de cruzamentos.

O Corinthians foi obrigado a marcar o meio, onde o Santos fez seu jogo.

O Santos marcou as laterais do Corinthians.

Conclusão? Sem meio, não se cria. E o Corinthians ficou sem saida de bola nenhuma no primeiro tempo.

Não há Tcheco que resolva, sendo que o time ficou parado esperando funcionar o sistema de 2009.

E porque não funcionou?

Porque a idéia é otima, mas contra o Santos raros esquemas táticos funcionam.

Esquema tático só não pára talento. E o Santos tem muito.

Abre J. Henrique e Dentinho. Prende os laterais do Santos, que deixa 2 em cima do Ronaldo.

O Arouca faz a saida de bola rápida, e la na frente os meninos resolvem com aquela movimentação infernal.

Quem chega para fazer uma troca de passes no ataque alvi-negro? Ninguém. Porque não dá. Ou você marca o Santos, ou você ataca o Santos.

E quem tenta marca-lo, apenas, normalmente perde.

Não há aproximação do R. Carlos, e por isso aquela jogadinha mortal do lateral passando pelo atacante aberto acaba.

O Ronaldo não recebe uma bola em condições de bater no gol. E aí sai da área pra buscar.

Danilo? Defederico?

Não sei se a solução está na mudança simples de um meia. Também não acho que o esquema de jogo de hoje seja errado, até porque, ficou claro em 2009 não ser.

Fato é que o Mano deve estar preocupado, pois o “melhor time” no papel do que o ano anterior ainda não vingou. Aliás, longe disso.

Danilo pode ser uma alternativa para ajudar o Dentinho de um lado, e o Defederico do outro. E quem marca?

Talvez, neste caso, os laterais possam ficar mais.

Mas, usar o R. Carlos apenas defensivamente é um desperdicio tremendo.

Mas, ao centro, deixar apenas o Ronaldo, é uma ajuda e tanto aos marcadores, que não precisam se preocupar com 2 no setor de finalização.

O Santos, por sua vez, deita e rola.

Arouca, Wesley, Robinho (hoje nao), Neymar e André. Rapido, técnico, imprevisivel…

Aquilo que chamava Futebol, e alguns desvirtuaram.

abs,
RicaPerrone

Comentários