Home » Futebol » Os fins, o meio

Os fins, o meio

Queridos, é fim de ano, sejamos menos azedos. As mudanças apresentadas pela CBF tem sim cara de escudo, e mesmo que for, não devem ser avaliadas só por isso. Eu posso te dar um presente de natal pensando em fazer tipo, o que não vai mudar você gostar do presente ou não. Vai?

Se Ronaldo, Andres e as mudanças na Copa do Brasil dizem respeito ao Ricardo Teixeira querer se afastar do olho do furacão ou não é uma coisa. O quanto as medidas foram boas ou ruins, outra coisa.

Quando o presidente do Palmeiras não aguentava mais, trouxe Felipão, Kleber e Valdivia. Foi de escudo? Deve ter sido. O que não faz de Felipão, Kleber e Valdivia ruins em suas profissões.

É isso que precisamos separar.

O que o Ronaldo tem a ganhar com o cargo? Quase nada. A perder? Tudo! Então, se aceitou, é pra trabalhar e fazer algo bem feito. Qualquer faísca de corrupção ali vai mudar a imagem dele, e ele vive dela. Ronaldo pode ser o que você quiser, menos burro. Se ele foi lá, que bom pra nós.

Entre tanta gente que não confiamos, temos alguém em quem confiar. E se ele nos decepcionar, azar dele. Mas até aqui Ronaldo é um sujeito de altíssimo poder de negociação, influência e marketing. Porque não?

Andres, baita presidente do Corinthians, foi chamado. Eu até concordo que faltando 1 rodada pro Brasileiro acabar é burrice. Mas não concordo que seja absurdo a sua chamada, afinal, a frente do Timão há alguns anos e em parceria com Ronaldo deu uma aula de administração e visão.

Porque não?

A Copa do Brasil ano todo e a Sulamericana com novos critérios é espetacular! A melhor decisão que a CBF tomou nos últimos 215 anos.

Onde eu quero chegar é no seguinte ponto.

Se isso tudo é feito meramente para abafar escândalos e acusações é uma discussão.

Se estes profissionais e formatos colocados são bons ou ruins, outra dicussão.

Estão misturando tudo e não tem como misturar. O fato de um presidente de clube querer fazer média com a torcida e comprar o Messi faz dele um cara pouco profissional, mas não faz do Messi mau jogador.

Ronaldo e Andres foram, de longe, os melhores administradores do futebol brasileiro nos últimos anos. Vá você com a cara deles ou não, o que é natural por terem dado certo num time enorme e que gera rejeição.

Mas que eles tem credencial pro cargo que assumiram, tem!

E se não fosse o Andres, seria um Kleber Leite, um Koff, um Juvenal da vida. Não ia mudar a sua idéia de “gente nova”, porque são obviamente os que estão lá ha algum tempo.  Não tem papai noel.

Você não vai acordar amanhã e ver o Leonardo e o Zico assumindo a CBF com o Parreira na diretoria. Por mais que a gente sonhe com tudo novo, não é a Terra do Nunca e eu juro pra você que o Peter Pan não vai resolver todos os problemas do futebol brasileiro.

É politica. E politica não é uma coisa ruim. É uma forma de relacionamento, um termo pra definir uma estratégia natural da vida.

Se os fins não são os ideias, não tem problema desde que os meios nos levem a fins ainda melhores.

Ronaldo e Andres PODEM acertar. E a decisão sobre a Copa do Brasil e Sulamericana é brilhante.

Aos trancos e barrancos, por escudo ou vontade, ganha o futebol.

E se, quando, talvez, os dois errarem ou não fizerem o que esperamos deles, aí sim, criticamos.

abs,
RicaPerrone 

Comentários