Existem times de futebol com vocação pra fazer gols, outros com vocação pra defender. Mas tem times que se forçam a um dos dois sem o menor sentido técnico e acabam atrapalhando sua natureza.

O Vasco joga um bom futebol quando perdendo ou até empatando. Basicamente precisando fazer gols. Quando não precisa parece que a bola pega fogo nos pés dos jogadores como se estivessem sendo eliminados e não se classificando.

Valentim? Ok. Ele recua. Mas além dele o time tem diversas bolas em contra-ataque quando ganhando e simplesmente não consegue fazer o óbvio.

Não foi ontem. Tem sido sempre.

O Vasco faz a vantagem, pára de criar, quando tem a chance queima a bola e o treinador recua e causa a pressão contra o próprio time.

Talvez por insegurança no elenco. Talvez por convicção. Mas de fato o Valentim está assistindo um time que tem espaço e chances de matar e não mata. E neste caso, convenhamos, não se trata de treinador um time perder gols em contra-ataques de 4×2 por exemplo.

Insegurança com a vitória. Raras vezes vi isso no futebol. Poderia ser justificável num elenco cobrado com obrigação de vencer. Mas não é o caso.

Diagnóstico difícil.  Mas dentro da idéia de que o Vasco tem tido dificuldade em resolver jogos quando eles ficam mais fáceis, era melhor os titulares do Flamengo do que os reservas. Porque a tal “obrigação” vai pesar.

RicaPerrone

Compartilhe!
  • 304
    Shares