O Flamengo, enfim, contrata nomes que fazem o torcedor se empolgar. E destes nomes, dois pouco discutíveis. Arrascaeta é um grande jogador e jovem, portanto assim como foi com Vitinho é um investimento de possível retorno financeiro além do técnico.

E o Gabigol, que embora eu não ache essa coisa toda que o fez ir pra Inter com status de craque, vindo por empréstimo é bom reforço.

O lado bom:

Casa cheia o ano todo, expectativa a mil, time sobrando do meio pra frente e briga por posições.

O lado ruim:

Arrascaeta, Arão e Diego Alves são 3 jogadores que o Flamengo sabe que não pode contar quando insatisfeitos. Caso haja uma crise interna ou alguma rebeldia, não será por culpa do acaso. Será pelo risco assumido.

Faltam laterais. Talvez um zagueiro. Um equilibrio entre o time que a torcida quer ver e o que se completa para virar título. Detalhes.

Como disse há 2 anos, insisto: o Flamengo será campeão em breve e a tendência é que seja várias vezes. Se com o caos vencia de vez em quando, vencerá fatalmente com a casa em ordem e uma estrutura digna para treinar.

O legado deixado pela gestão anterior é de concreto e o Flamengo nunca pisou em concreto. Sempre em barro e por isso vivia subindo e afundando o tempo todo.

A única dúvida que tenho é se precisa de um time de 200 milhões se nos últimos 100 anos quem brilhou e resolveu foi prata da casa.

Eu teria 3 nomes fortes pra levar torcedor pro estádio e vender camisa, dar equilibrio ao time, e o restante formado em casa. Não vejo o Flamengo 2019 com espaço para algum garoto achar uma vaga.

Mas vejo o Flamengo como protagonista o tempo todo. O que não muda se ele for ou não campeão.

O Cruzeiro? Perdeu um grande jogador, se livrou de alguém que não respeita sua camisa.

Ficou bom pra todos. Especialmente pro Arrascaeta, que foi mimado e anti-profissional, mas ainda assim conseguiu o que queria.

Futebol brasileiro em estado puro.

RicaPerrone

Compartilhe!
  • 1.1K
    Shares