Num mundo pragmático que muito se cobra e pouco goza, ser campeão se tornou um alívio e não mais uma glória. Aos megalomaníacos brasileiros é ainda pior, pois Olimpíada não vale, Copa América não vale, Confederações idem. Só vale Copa, e mesmo sendo o país que mais a conquistou, vivemos sob críticas e crises.

A Copa América é a Eurocopa que nos cabe. E portanto é altamente importante. Tal qual a Copa das Confederações, que é um torneio de campeões continentais.

A cultura do “só vale Copa” é bastante tosca e pobre. Mas é nossa.

O Brasil entra em campo pressionado pra ser campeão ignorando os rivais de alto nível como Argentina, Uruguai, Chile e Colômbia. O mesmo sujeito que discursa que o futebol mudou, que não há mais fronteiras e que está tudo muito equilibrado é o cara que exige da seleção títulos sem considerar suas dificuldades.

O que vale a Copa América?

Talvez mais que a Copa América.

O fato de que essa geração não vá disputar mais nada em casa tão cedo. O fato de termos saído da Copa humilhados em casa e termos que recuperar a relação com o torcedor. Talvez encerrar uma era de vários desses jogadores sem o 7×1 nas costas apenas.

Ganhamos a Confederações, é verdade. Foi incrível. Mas entra ela e o dia de hoje houve o 7×1.

Por mais imbecilizado que seja o papo de “eu não quero ser o país do futebol, quer hospitais e escolas”, uma coisa não anula outra pra quem tem meio cérebro. E embora eu saiba que meio cérebro é muito pra uma boa parcela de pessoas, ainda acredito no bom senso da maioria.

Não é legal pro americano perder o basquete. Pro alemão com sua cerveja. Pro japonês a referencia tecnologica. Ninguém gosta de perder algo que você é referência.

A nossa é o futebol e disso muito me orgulho, o que não exclui querer outras coisas pro país. Ver o Brasil não ser mais o todo poderoso no futebol é um risco que machuca. Bem ou mal, gostem ou não, é o que temos.

Perde-lo não nos dará uma escola nova sequer. Apenas nos tirará o único posto de “melhor do mundo” que ostentamos.

Então, meus caros, a Copa América é uma chance. Uma possibilidade real de meter a camisa amarela com uma taça grande nas mãos de novo. E em casa, diante do seu povo.

Vale. E vale muito.

Simplesmente por valer bem mais do que uma Copa América.

RicaPerrone

Compartilhe!