Antes de qualquer coisa é bom que se diga que a Alemanha é merecedora da vitória. Mas hoje quero me atentar a algo mais relevante do que quem ganhou o jogo: a oficialização do roubo.

Em todos os jogos de futebol nos últimos 150 anos o “roubo” era uma muleta de torcedor revoltado. Com o VAR ele se tornou perigoso e há alguns dias postei aqui que aconteceria o “roubo” de fato.

Sim, “roubo”.

Quando você não pode mais dizer pro torcedor que “ele não viu” ou “na hora é difícil acertar”, você está dizendo pra ele que todo erro decisivo é intencional.

O pênalti não é interpretativo. Foi penalti. Todo  o planeta viu. O juiz não foi rever e teve dúvidas. Sequer mandaram ele rever.

Pela primeira vez na história do futebol um torcedor tem o direito constitucional de afirmar o que a vida toda nós sempre sonhamos em dizer com propriedade.

“Fomos roubados!”

E os suecos são os primeiros a ter o desgosto de poder dizer isso. Mas a partir de agora, acostume-se. Erro com VAR não é erro. É roubo. Isso nem o maior advogado do mundo vai tirar da cabeça do torcedor.

Então repensem a forma de atuação do VAR antes que ele descredibilize o futebol na maior tentativa de dar a ele credibilidade. É mole?

abs,
RicaPerrone