Talvez você estranhe a manchete mas ela é real.  Em lugar nenhum do mundo se estuda tanto quanto no Brasil. E se você eventualmente duvidar, basta pegar um borderô de futebol para ver que mais da metade dos ingressos de cada setor que tem a opção “meia entrada” é vendida a “meia entrada”.

Do jogo deste domingo mais de 20 mil “estudantes” estiveram no Maracanã.

O Brasil é o país dos absurdos e a lei que dá 50% de desconto a quem estuda é uma delas. No final das contas ela apenas dá condição a um esquema incontrolável em eventos grandes para que todos paguem meia e esse se torne o preço oficial do evento.

Nem vou entrar no mérito se você concorda ou não com os 50% de desconto pra estudante. Mas posso facilmente te provar que isso é incontrolável a qualquer evento maior que um cinema.

Maracanã pra 60 mil pessoas.  20 mil pagaram metade.  6 mil não pagaram. 20 mil eram sócios torcedores, que é um ingresso que considero mentiroso, pois o clube não recebe só aquilo.

14 mil pessoas foram ao jogo comprando ingresso normal.

O que é muito bom pelos sócios, é ruim também pela meia entrada. Talvez se ela não existisse os 20 mil “estudantes” prefeririam ser sócios para pagar “meia”.

Outras coisas são óbvios absurdos que não fazem o menor sentido.  O Maracanã custar 1,2 milhões pra abrir as portas é um deles. Ou fizeram um estádio muito burro ou tem muita empresa terceira ganhando sem merecer.

Os estádios de Palmeiras e Corinthians, com todos os gastos, custam 600 mil pra funcionar. Metade.

“Ah mas ele tem dono!”. Calma. Eu to falando do custo operacional, não da divisão de receita ou do aluguel do estádio.

O novo Maracanã é uma merda. Impagável pro torcedor, um assalto pro clube, um elefante branco pro governo.

E quando a merda está feita, o povo “estuda” pra poder entrar. E como estuda o brasileiro desde que essa lei foi criada.

abs,
RicaPerrone