Estou há um tempo querendo fazer essa afirmação, mas ela é muito perigosa. Hoje, sem que eu tocasse no tema, um amigo (Marcelo) me disse isso quando me encontrou. Ele é gremista, tem minha idade, talvez considere o time de 83 mais do que eu que vi bem menos do que gostaria.

Talvez ele tenha em mente apenas o de 1995 pra competir com esse. Eu vi muito o de 1995, de lá pra cá obviamente vi todos. E o de 83 muito mais por video tape de jogos importantes do que por dia a dia. Fato é que tenho no meu inconsciente que o Grêmio é um time que joga duro. Não bonito.

Nunca esperei futebol bailarino desse clube. Toda vez que enfrentava o Tricolor gaúcho era na base do “eles são casca grossa”, não um time de futebol envolvente e encantador.

Esse causa até incômodo.  Como que eles podem jogar tão bem sem ter comprado estrelas e os outros clubes vivem gastando tubos pra não jogar nada ou viver em função de uma bola parada?

Ver o jogo das 21h quando o Grêmio joga as 19 é bastante difícil pra quem adora futebol bem jogado. Raríssimos os times que apresentam algo sequer parecido.

Hoje, não pelos 5×0, mas pela certeza de que é uma nova característica deste time e não uma fase que caiu no colo, eu consigo dizer:  é o melhor Grêmio que eu vi jogar.

E talvez esse time não fosse capaz de vencer o de 1995. Mas ele joga melhor.  E não me refiro a “mais bonito”. É melhor de controle, posse, coletivo, tático, defesa que não sofre sustos. É muito bom ver jogar.

Daqui 40 anos vocês falarão desse Grêmio como falamos hoje dos épicos times da década de 70. Com saudades, orgulho de ter visto e vontade de rever.

Aproveitem. Estamos vendo a história ser escrita em letras garrafais.

abs,
RicaPerrone