Home » Futebol » O incrível René Simões

O incrível René Simões

Eu tenho razoável admiração por pessoas que através de uma roupa ou uma forma de falar conseguem respeito e status. Acho mesmo, sem ironia, do cacete a profissão de “respeitável qualquer coisa”.

Me visto mal, falo palavrão, jamais seria como eles.  Por isso, os invejo de alguma forma.

Nunca ouvi uma música da Preta Gil. Também não conheço alguém que tenha ido a shows, ou algo que justifique tamanha fama. Mas ela é simpática, tá em todas, topa todas, é carismática e se apresenta como um grande sucesso.

Resultado: Parece um sucesso. E então, se torna. E acredite: Isso não é uma crítica a Preta, já que seu trabalho é ser artista e entreter pessoas. Se consegue, ótimo!

René é a Preta Gil do futebol.

Só que no futebol existem cargos de competição que não exatamente buscam a imagem de um pop star, mas sim seu trabalho.

René é treinador de futebol e como tal deveria, em tese, conseguir resultados.  Desde 1980 trabalhando nisso, tem conquistas mais inexpressivas que a de muito técnico tido como “piada” pela mídia.

Mas ninguém ri de René. Ele é sério, usa óculos, fala bonito e reclama de tudo.

É a pauta perfeita pros caga-regra.

O Vasco é amador demais pro René. O SPFC, idem. E qualquer clube que ele pisar, sairá de lá dizendo que a estrutura do futebol brasileiro é ruim e não tem condições de trabalhar.

Isso vindo do sujeito que deve a fama que tem a super estruturada Jamaica.

René é o irritante profissional que só aparece na tv pra reclamar de alguém ou transferir responsabilidade. Mas é esperto, fala a língua da imprensa azeda, e assim, ganha espaço para, mais uma vez, “parecer diferenciado”.

Procure uma notícia onde René fale da conquista. Não há.  Procure uma onde ele é tido como o senhor da razão para detonar algum clube, calendário, etc.

Não tirando sua razão nas criticas. Mas o que esse cara fez de fato pra ter tanta moral com a mídia? Pra ser o porta voz da má condição de trabalho no Brasil após anos ganhando a vida na porra da Jamaica?  Trabalhou no Catar, Trinidad e Tobago, Honduras… e tá reclamando do futebol brasileiro?!

O futebol é muito mal administrado para suportar René. Nada está a sua altura, clube algum pode recebe-lo.

E a mídia segue dando microfone como se o entrevistado fosse um gênio no que faz. E não é. Longe, bem longe disso.

“Estamos criamos um monstro”.  Lembra?

Pois é. Seu maior trabalho nos últimos 10 anos foi dizer isso sobre Neymar.

O tempo passou, e nem isso estava certo. O monstrinho venceu. Você, não.

René… tu é chato pra cacete.

abs,
RicaPerrone

Comentários