Todo esporte do mundo muda suas regras com o tempo procurando privilegiar sempre a qualidade técnica à defesa. Talvez o futebol seja, até, o único esporte do mundo onde a defesa ganha do ataque na enorme maioria das vezes, já que as investidas são constantes e os “gols” raros.

Ainda assim, pelo fator imprevisível, o amamos.

Só que o esporte é sustentado por ídolos. Pela idéia de ver seres humanos como nós fazendo o que nós jamais faríamos. E toda vez que diminuimos esse ponto o futebol perde valor.

Não é mentira que tínhamos 30 craques por Copa e hoje lutamos pra achar 5. Não é saudosismo, é apenas a constatação óbvia de que o futebol se tornou um jogo muito mais coletivo do que individual, e portanto os craques perderam o fator determinantes nos vencedores.

Só que cabe a FIFA manter o futebol atrativo e os ídolos privilegiados. Não equilibrar o jogo meramente pelas questões táticas, físicas e até dimensões de campos para beneficiar o menor. Nivelar por baixo jamais é uma boa idéia.

Os laterais viraram escanteios. Os campos são todos pequenos, os times correm mais, compactam mais e tem uma enorme facilidade de anular um time com talentos individuais.

O coletivo é a arma do futebol atual. E o coletivo não é forte em seleção alguma, simplesmente porque trata-se de um time de pouco treino, formado rapidamente e que não goza do mesmo preparo para encarar defesas bem armadas.

Ao contrário dos ataques, armar defesas não é tão complicado.

O futebol hoje privilegia o grandão, o forte, o veloz, o tático, e por último o craque. A Copa é apenas a representação final disso tudo.

Em mais de 2 semanas de Copa tivemos raríssimos grandes jogos. E note, fácil: os grandes jogos foram onde seleções de patamar semelhante atuaram. Porque? Porque nenhuma delas pode propor apenas se defender. E então temos um  jogo.

Os craques estão decidindo contra times grandes, não contra os nanicos. Porque pra decidir é preciso poder jogar. O futebol está privilegiando o lado errado.

Eu e nem ninguém prefere um jogo intenso e corrido onde um time massacra o outro tentando jogar e o outro tentando evitar. Todo mundo quer ver um jogo onde quem JOGA mais tem vantagem sobre quem tenta não jogar.

Não é o que está acontecendo. Talvez seja hora de rever alguns conceitos mais profundos e antigos do futebol.

São mil alternativas. Mas elas precisam parar de dar vantagem a quem não quer jogar futebol. Especialmente porque não sabe.

abs,
RicaPerrone