Sabe qual a única forma de dirigentes movidos por ego e política, sem nenhum compromisso com o próprio bolso e manipulando dinheiro alheio fazerem algo sério por um clube? O rival.

Toda vez que um rival melhora muito você tende a correr atrás. Passionalmente, não aceita. E ao não aceitar se desdobra pra busca-lo.

Única boa coisa que temos em não termos donos nos clube é a alta necessidade de competição acima do negócio. O Flamengo que se organizou, pagou dívidas, se estruturou, montou uma seleção e hoje joga o fino da bola PRECISA ser campeão.

Do que? Não sei. Tanto faz, eu diria. Mas o Flamengo precisa consagrar esse modelo.

Por ele, pelo Vasco, pelo Flu, pelo Botafogo, pelo SPFC, pelo Galo e por todos os cubes do Brasil. Quem acha caminho tem que vencer. E digo isso baseado na perda do caminho por causa de 82/94 com a seleção.

Nosso futebol tinha um perfil. Ao perder jogando bem, decretamos que não servia. Vencemos em 94 jogando pelo resultado, e desde então geramos uma epidemia de Roths, Muricys, Parreiras e outros tantos que não se importam com o futebol, só com o placar.

Viramos esse misto mal feito entre Europa e Brasil. Não nos encontramos nunca mais. E se esse Flamengo, odeie-o ou não, não vencer, vamos instituir que fazer direito não dá certo.

Tem título que acontece. Tem título épico. Tem título que nem se explica. E gosto mais deles pra ser honesto.

Esse, seja Libertadores ou Brasileirão, se vier o Flamengo explica de todas as formas. E ao explicar, entende-se. E se entendeu, copia, melhora, e subimos todos.

Com todo respeito aos rivais que não suportarão ler essa frase, mas a salvação de muitos de vocês é o Flamengo triunfar. Talvez dessa forma, se determinando um modelo de gestão que de fato funcionou, seu clube dê os passos que precisa para fazer o mesmo e alcança-lo.

E não. Não é Globo, não. Não é grana de TV, não. O Grêmio faz outro modelo de gestão de sucesso e não tem a grana do Flamengo. O CAP não tem o dinheiro de nenhum deles e faz melhor gestão que 90% dos demais.

O Grêmio ganhou tudo. Está ganhando ainda. O CAP chega onde os grandes deveriam estar constantemente. E sem a mesma torcida, verba ou mídia.

Parem de acreditar em desculpa esfarrapada. Dá pra fazer. Mas pra fazer tem que trabalhar pelo clube e não pelo ego. Pelo médio/longo prazo e não só pela sua gestão.

O Flamengo precisa ser campeão. Por ele, pelo Flu, pelo Botafogo, pelo Vasco, por tantos outros que insistem em dizer que “não tem como”.

Porque tem.

RicaPerrone

Compartilhe!