Home » Futebol » O fator Fernandão

O fator Fernandão

Nas próximas horas o Tricolor deve anunciar seu tão sonhado reforço: Fernandão. Há anos o clube quer, entende que é o perfil que o time precisa, e eu não discordo não. Acho um líder, um sujeito inteligente, um bom jogador e um cara que pode organizar e FALAR neste time de mudos.

Sua carreira de centroavante, porém, engana. Jamais foi um jogador acima da média nesta função. Apenas quando recuou para se tornar um “numero 1” ele virou um jogador acima da média.

E não é por causa da sua técnica, mas sim por causa da sua postura, inteligencia tática, liderança e noção de jogo. Fernandão está sendo esperado por muitos para substituir Washington, e eu discordo disso.

Com Fernandão na simples função do Washington o SPFC vai continuar cruzando na área e buscando sempre a jogada mais burocratica. Na realidade, a sua chegada deveria ser usada para MUDAR isso, e não manter.

Claro, ele é mais jogador que o Washington. Não se discute.

Em 1992 o SPFC tinha um time “comum” em várias posições, um goleiro acima da média, um meia/atacante líder e acima da média, cercado por jogadores de bom passe e outros mais rápidos. Deu no que deu.

Em 2010, longe de imaginar que o Hernanes seja o Palhinha e o Muller pareça com o Dagoberto, mas a forma de usar o reforço pode ser a mesma. Pra mim, até DEVERIA ser. Mas, duvido, conhecendo o Ricardo Gomes.

Se o Fernandão entrar para apenas substituir o Washington, o time será isso:

Vai cair naquela de jogar a bola pro cara tentar o gol de cabeça sempre. E isso, convenhamos, está manjado e irritando até o mais fanático torcedor.

Agora, se o Fernandão viesse a ser aquele “numero 1”, aí sim, o SPFC mudaria radicalmente sua forma de jogar.

Aquele meia raro que se posta ATRÁS dos atacantes quando o lance começa, organiza o ataque, vira de costas e parte pra área pra finalizar. Exatamente o Rai.

E com isso permite-se ter 2 atacantes rápidos, que podem ser Marlos e Dago, Fernandinho e Marlos, enfim…

Em 92, note, o SPFC não tinha 2 atacantes. Tinha Muller, Rai e Palhinha. Victor e Cafu alternavam pela direita e os volantes pouco avançavam. Mas, era um time de muita qualidade e muita movimentação.

Este SPFC 2010 pode se tornar um time com boa velocidade na frente se o Fernandão for RECUADO para esta função. Se ficar de centroavante, não muda nada.

Aí um desenho do time que imagino ser o ideal pra ele:

Desta forma há volante preso, 2 meias que voltam e ajudam na marcação, assim como fazem companhia para a chegada dos laterais. Atacantes rapidos, que abrem espaço e um meia líder, que organiza, prende, fala, ajuda a armar e finaliza.

Não precisa mais matar um dos atacantes em troca de presença de área. Fernandão dá essa opção sem ficar ali parado.

Muricy tentou fazer isso com o Aloísio, só que sem ter 2 atacantes na frente. E convenhamos, o Aloísio não é um primor cerebral e nem técnico pra isso.

Desta forma aí, acredito que possa mudar muito a coisa. Da forma convencional, que é trocar pelo Washington, acho que não muda muita coisa.

Aguardemos o que fará o “ótimo” Ricardo Gomes.

abs,
RicaPerrone

Comentários