Passado o circo do Pacaembu, vamos aos culpados de fato. O jogador foi um tremendo irresponsável ao não avisar e/ou não saber de sua punição. O Santos foi bobo, a Conmebol foi covarde, o River malandro e o torcedor desequilibrado.

Pulando a parte jornalística moderna que diz que devemos falar o que pode e não o que achamos, vamos direto ao ponto.

Existe o educado, o ético e o otário. O otário é quase sempre o que tem educação e ética com quem não tem com ele.  Briga se ganha dando porrada.  Você pode evitar a briga, mas depois que ela começa ou você bate ou apanha.

O Santos entrou no circo pra ser o palhaço ontem. E com ajuda de sua torcida, inflamada pelo absurdo que fez a Conmebol, entrou direitinho.  Vai ser punido ainda mais, além de eliminado ontem, porque é óbvio que tudo que a Conmebol queria era um problema causado por nós, brasileiros, pra desviar o foco da palhaçada.

Conseguiram.  O tema agora é violência. Cuca. PM.

O Sanchez, tanto faz. A vaga, idem. No Pacaembu ficaram todos os questionamentos sobre a honestidade do caso, e de lá saíram mil lamentos e teses vazias de quem há séculos não pisa uma arquibancada e acha que estudou jornalismo pra virar especialista em segurança pública.

O Pacaembu era um barril de pólvora. A pancadaria aconteceria no campo ou fora, basta ser meio torcedor pra saber o que aconteceria ali. Esperava que o Santos fosse criar uma confusão no campo e tumultuar a Libertadores no tapetão. Não que a torcida fosse dar a Conmebol mais motivo pra punir o Peixe.

Entendo? Entendo.

Não concordo, é óbvio. Mas eu vim dali, sei o que sentem e o quanto isso era provável. Infelizmente quem comanda futebol pouco sabe sobre ele, então acharam que não aconteceria nada dizer pra 40 mil pessoas que elas são palhaças e ainda pagaram por isso.

Circo.

E com Cuca enlouquecido, jogadores descompensados, torcida quebrando tudo, só um vai sair ileso: a Conmebol. A promotora do circo. Afinal, os ingressos foram vendidos. Então… tá ótimo.

abs,
RicaPerrone