Home » + Chamada » O campeão do mundo – o jogo

O campeão do mundo – o jogo

Eles realmente pouco se importam. Não fazem um esforço muito incomum, mas são hoje superiores ao futebol mundial, não a esse ou aquele.  Acho uma pena que 6 clubes tenham amplo favoritismo sobre o planeta. Gostava mais de futebol quando o Roma era uma pedreira, quando uma disputa entre campeões de Libertadores e Champions não tinha favorito.

Gostava mais quanto tinhamos 40 craques em atividade. Hoje temos 3. É brutal a diferença, e se torna ainda mais nítida quando 5 ou 6 clubes juntam esses acima da média só entre eles.

O Grêmio foi com medo. E tem razão pra isso. Ninguém quer fazer o que o Santos fez.  Mas na verdade o Real Madrid ganhou com uma bola parada, teve o seu ataque razoavelmente bem anulado pelo Grêmio.  Mas verdade também que não precisou se esforçar.

O Grêmio parecia dopado pela idéia de que todo jogador que veste branco joga muito mais que ele. Alguns supervalorizados até. Mas em momento algum o time brasileiro quis fazer o gol. E aí não dá pra ser campeão.

Dava? Acho que dava. Sempre dá. É futebol, não é um esporte qualquer. Mas as chances eram pequenas, foram diminuindo sem Arthur, na noite ruim do Luan, sem inscrever o Cícero, etc, etc, etc….

Tenho breves considerações sobre a partida:

  • O Luan não pipocou. Jogou mal. Pipoqueiro é o cara que some do jogo difícil. O Luan foi buscar bola na meia lua do Grêmio o tempo todo pra tentar jogar. Errou. Mas buscou e não se omitiu. Não confunda as coisas.
  • O Geromel foi o melhor em campo.
  • O lance do Geromel no Cristiano aos 3 minutos de jogo é exatamente o que falta à seleção brasileira.  Tite, convoque-o.  O Thiago Silva abraçaria o Cristiano na primeira trombada. O Geromel fez ele jogar do outro lado. As vezes o jogo precisa ser como é, não como floreiam os jornalistas criados em condominio.
  • O Grêmio teve medo de dar a bola pro Real. E quando tinha tocava tão sem objetividade que não criava e nem dava muito espaço. Um jogo sem nexo.
  • Barrios é muito ruim.
  • Eu teria usado o Everton mais cedo. Não sei se pela bola, mas porque é preferível ele prendendo o Marcelo e o Ramiro no meio do que o Ramiro aberto e o Marcelo sem ter ninguém enfiado do lado dele.

Venceu o melhor time. Simples assim.

O Grêmio não tem do que se envergonhar, o Real mesmo que não queira pela arrogância, deveria ter do que se orgulhar. O Mundial hoje é um torneio quase “a espera de um milagre”.  Mas ainda é um Mundial.

abs,
RicaPerrone