Home » Futebol » Clubes » Flamengo » O “baile” do Baresi

O “baile” do Baresi

O São Paulo ainda questiona seu treinador. Erra muitas vezes, já mexeu mal no time, já fez suas bobagens e ainda é novato, o que naturalmente gera desconfiança. Mas ontem, especialmente ontem, ele deu 3 pontos ao Tricolor no Morumbi.

O que armou contra o Flamengo pode não ser nenhuma aula tática, nenhum indício de genialidade, mas mostra que o cara estudou muito bem o adversário de ontem. E pra ajudar, Silas fez uma alteração que “quebrou” o Flamengo ainda no primeiro tempo.

Era muito clara a leitura do atual Flamengo, ainda perdido e sem padrão: O time vai agredir pelos lados e encher de volantes. Ou seja, vai tomar a bola com facilidade, porém, vai ter apenas uma forma de sair jogando, que é pelos lados.

O que fez o Baresi? Fechou o SPFC pelos lados do campo, usando 3 falsos volantes, com 2 abertos pra combater os laterais do Flamengo, e deixou 2 meias-atacantes nas costas dos laterais.

Amigão, game over!  Se o Léo sobe, o Marcelinho e o Marlos caem nas costas. Se ele fica, o Flamengo não joga. Baresi matou o poder ofensivo do Flamengo.

Então o Tricolor faz 1×0. E quando faz, o Flamengo começa a jogar e agredir. Sempre vendo o Marlos e o Marcelinho esperando pra dar o bote nas costas do Léo, mas… resta ao Flamengo agredir.

Aí vem o Silas e comete um erro enorme.


Quando ele saca o Correa e coloca o Pacheco, a lógica é meio simples. Ele tem as laterais quebradas pelo sistema do SPFC. Pelo meio, só volantes. Então ele coloca alguem DO LADO do Renato e deixa 2 volantes mais presos, equilibrando os setores e puxando um volante do SPFC pro meio.

Mas, sei lá eu se por burrice do proprio ou se por ordem do técnico, o Pacheco entra e vai jogar abrindo nas laterais. Ou seja, ele cai onde o SPFC já fechou, some do jogo e ainda dá espaço pro Fernandão começar a participar do jogo.

Ali o Flamengo continuava a não ganhar as laterais, perdia o meio campo e não tinha mais como brecar os meninos do SP nas costas do Léo e do Juan. Ou seja, 2×0.

Some isso a estúpida expulsão do Diogo, que quis cavar penalti quando não precisava. E nada mais poderia ser feito no Flamengo.

Era voltar do intervalo, arriscar uns chutes de longe, umas jogadas de contra-ataque e evitar perder de mais.

Ontem o Baresi foi brilhante. O que “pareciam” 3 volantes, na verdade eram 3 preenchedores de espaços para anular a única jogada rubro-negra. E funcionou.

Enquanto no Morumbi as coisas começam a clarear, com bola no chão, com dribles, usando a base e com futebol decente, do lado rubro-negro ainda falta muito. O time não tem nenhum padrão, nenhuma noção do que fazer com a bola e está muito fora de ritmo.

O que pode acalmar os flamenguistas é que a equipe é muito forte. Ou seja, uma hora ou outra vai reagir e ganhar. Mas é melhor correr, tá ficando tarde. O caneco “já era”, a Libertadores ainda não.

abs,
RicaPerrone

Comentários