A primeira vez que eu quis estar das cores da bandeira do meu país foi por causa da seleção.

A primeira vez que eu cantei o hino nacional sem ser obrigado pela escola foi por causa da seleção.

A primeira vez que vi meu pai com lágrimas nos olhos foi por causa da seleção.

A primeira vez que torci com TODOS os meus amigos pelo mesmo time foi por causa da seleção.

A primeira vez que chorei por futebol foi por causa da seleção.

A primeira vez que eu vi a seleção ser campeã foi um dos melhores dias da minha vida

A primeira vez que escolhi um ídolo que não jogava no meu time foi por causa da seleção.

A primeira vez que as mulheres da minha família se importaram com um jogo junto conosco foi por causa da seleção.

A primeira vez que soltei um rojão foi por causa da seleção.

A primeira vez que eu me senti orgulhoso de ser brasileiro fora do país, eu vestia a camisa da seleção.

A primeira vez que eu chego a um país que não conheço, chego com a camisa da seleção.

A primeira vez que comprei uma camisa com o meu dinheiro foi a da seleção.

A primeira vez que a seleção saiu de uma Copa humilhada, eu estava no estádio.

A primeira vez que ela foi campeã no novo Maracanã eu também estava lá.

A primeira resposta ao 7×1 foi no Mineirão, contra a Argentina, e eu estava lá.

Faz 39 anos que a seleção brasileira me aproxima do Brasil, dos sentimentos mais gostosos que a vida me dá, das pessoas que eu mais me importo, dos dias mais felizes e tristes, mas sempre marcantes em minha vida.

Faz 20 anos que eu defendo a bandeira de que essa camisa deve ser sempre incondicionalmente nossa, de forma “pacheca” sem a menor vergonha disso. Pois ela é a melhor coisa que nos representa.

Eu queria ter melhores hospitais, escolas, etc. Mas eu nunca queria e nem preciso atrelar isso a não ser mais o país do futebol.

Todos os países do mundo são reconhecidos por uma bandeira. O nosso por uma camisa. E se hoje vamos dormir olhando torto pro Chavez, evitando comprar um Doritos e esperando uma semana inesquecível é por causa dela.

Se segunda-feira vamos ter um dia especial, é por causa dela.

E eu não me importo se ela tem em sua diretoria João, Pedro, Marcelo ou Rogério. Eu me importo com o Zagallo, com o Ronaldo, o Romário, Carlos Alberto, Pelé e com o outros Ricas que hoje tem 8 anos e vivem o que eu vivi em 86.

Me importo com meu avô que morreu puto por causa de 50. E com meu pai que nunca aceitou 82. Vou morrer sem acreditar no 7×1, mas como eles dois, terei muito mais histórias de orgulho pra contar do que ruins pra lamentar.

A seleção brasileira não é um time de futebol. É a nossa maior marca, nosso primeiro contato não forçado com a pátria, o hino, a bandeira e o orgulho de ser brasileiro.

Nunca foi uma questão esportiva.  E nem será uma questão política.

Veste essa camisa porque se não temos mil motivos para nos orgulhar, não sejamos burros de nos negar a ostentar um dos únicos.

abs,
RicaPerrone