Home » Futebol » Campeonatos » Copa do Mundo » No apito, na sorte, na bola (ARG 4×1 COR)

No apito, na sorte, na bola (ARG 4×1 COR)

A Argentina vence mais uma e camufla uma atuação comum com uma goleada irreal. Jogou mal? Não, mas também não fez nada especial, pelo contrário, até os 30 do segundo tempo sofria pra chegar ao ataque e chegou a ser ameaçada. Mas, como quase sempre, pintou uma ajudinha do juiz e os 3 pontos vieram, assim como a goleada.

Jogo bom de assistir pois agora ninguém pode mais “não perder”.

O que tem a Argentina? Ataque. O que não pode fazer o adversário? Dar espaço pra contra-golpe e deixar de agredir. É dificil, mas também não cabe o primeiro tempo da Coréia.

Ficaram 45 minutos parados na defesa esperando a Argentina chegar. Não chegaram muito, mas acharam um gol contra e outro de bola parada.

Quando tudo parecia resolvido, o zagueiro argentino entregou a rapadura e ficou 2×1.

Na volta do intervalo a Coréia passou a jogar também. Criou algumas oportunidades, enquanto a Argentina parava na marcação coreana. Até que, aos 30 minutos, Messi arranca, chuta na trave e IMPEDIDO o Higuain marca o gol da vitória.

Dali pra frente ficou mole. 15 minutos onde a Coréia abriu tudo, a Argentina teve todo espaço do mundo pra usar o talento e a velocidade dos seus bons atacantes. O quarto gol foi um golaço! Jogada rápida, trabalhada e inteligente.

Continuo não vendo nada demais. Mas, como ninguém mostrou nada demais, a Argentina tá acima da média pela goleada.

Este time é forte ali na frente e só. Se alguém for pra cima da defesa deles com qualidade, ganha o jogo. Mas o medo de tomar gols de Messi, Tevez e Higuain é que dificulta isso.

Alias, um elogio ao Maradona.  Normalmente quando se tem uma zaga meia-boca os caras enfiam 5 volantes pra compensar. Ele foi mais inteligente: Meteu 3 atacantes e ninguém vem forte pra cima da zaga dele.  Se todos fizessem isso o futebol seria melhor.

Mas, insisto, não é um time imbatível, super-time, nada disso. O placar de 4×1 retrata o fim de jogo, não uma atuação tão soberana assim. Até os 30 do segundo tempo, tudo era bem mais complicado. Mas, aquele golzinho impedido antecipou o natural, que era a vitória argentina.

Contra a Grécia deve ser outro nabo, e aí eles vão ganhando moral. Se torna um time perigoso, sem dúvida. Mas ainda acho que alguém vai explorar essa defesa deles e igualar as coisas.

Abs,
RicaPerrone

Comentários