Home » Diversos » Sem bola » Não tenham medo

Não tenham medo

Hoje quero me dirigir a um público que não tenho, e que nem gostaria. Mas se você é eleitor do PT, seja pelo motivo mais absurdo que for, e está pregando o “medo” do Bolsonaro eleito, eu preciso te explicar uma coisa.

Se for campanha, e desconfio que seja, nada posso fazer. Se o “medo” for real, fique calmo.

O Bolsonaro é uma aposta de 60% do povo brasileiro em um choque de ordem, numa conversa mais franca e cheia de erros, mas menos fabricada e premeditada por algum marketeiro de campanha qualquer. As pessoas gostam dele. Pelo menos agora vocês sabem que, queiram ou não, a maioria das pessoas gostam dele.

Gostam ao ponto de ignorar a classe artistica, os apelos dos famosos, o desespero da mídia e dizer “sim” pra quem tinha 8 segundos de televisão.

E tendo os méritos de ser uma incrível minoria barulhenta e opressora que são, saibam que do outro lado não funciona assim.

As pessoas estão votando no Bolsonaro e boa parte desses votos são exatamente por você, petista, existir. Talvez se não fossem tão estupidamente cegos de amor pelo seu bandido mestre, teríamos outra eleição. Menos polarizada com certeza.

Mas, quando um grupo escolhe o crime a natureza força o outro grupo a escolher a polícia. A estratégia burra foi de vocês, então não enche o saco.

Mas voltando.

Estamos votando no Bolsonaro, não entrando pra uma seita. Estamos lhe dando uma chance, não amor eterno. Ao contrário de vocês, se ele errar, nós vamos virar contra ele.  Se ele roubar, ninguém vai defende-lo. E se ele for preso, não vamos reelege-lo daqui 4 anos.

Por favor, nos chamem de fascistas, malucos, esses absurdos todos que voces criaram para tentar equiparar um candidato a um ladrão. Mas não nos chamem de desonestos. Esse rótulo cabe a quem dá a mão pra bandido, não pra quem bota fé em quem promete combate-los.

Enfim, não quero me alongar porque meu pai me ensinou a não falar com vagabundo e bandido. Mas era só pra acalmar vocês mesmo.

Nosso voto é condicional. Nossos valores, não.

abs,
RicaPerrone