Home » Futebol » Não aposentem um mito

Não aposentem um mito

Você, torcedor de um clube qualquer, apenas conhece, admira ou odeia, mas não passa indiferente a Rogério Ceni. Você, sãopaulino, sabe mais do que ninguém que não estou me referindo a um jogador de futebol qualquer.

Se existe uma personificação do São Paulo ela se chama Rogério Ceni. Pro bem e pro mal, diga-se. Mas nunca alguém foi tão a cara de um clube.

Aí você pode dizer: “Mas o Zico!”. “Mas o Pelé!”. Sim, são identificados com seus clubes um absurdo, bem mais que o Ceni até. Mas ninguém leva a alma de um clube tão a sério quando o capitão Ceni.

Ele é profissional, pioneiro, sabe que tem uma importância grande, raramente reconhece falhas, não aceita perder, entende que precisa estar sempre em alta e, como o SPFC, na maioria das vezes até está mesmo.

Ceni é o São Paulo em forma de gente. Na forma de agir, torcer, até quando é “arrogante”, coisa que eu só vejo pela tv, pois comigo sempre foi uma pessoa tranquila de lidar.

Eu não acho que ele não mereça criticas. Acho, ao contrário, que ele está num momento onde qualquer falha será colocada em pauta em virtude da sua idade.

Aos 38, Rogério passou do ponto da maioria. Mas ele nunca foi como a maioria.

O show contra o Ceará foi ignorado após 2 falhas seguidas. O que não é justo, nem imprevisível.

Eu cometi o “crime” de dizer, em 2008, que achava que o Rogério tinha que parar. Ninguém entendeu, já que aos 35 ele ainda parecia capaz de jogar em alto nível, o que de fato fez.

Mas eu sou sempre a favor de que um sujeito pare num momento brilhante.

Romário esperou, ouviu mil bobagens, mas parou com o milésimo.

Rogério teve o centésimo e terá também seu milésimo em breve. Ali, quem sabe, sua nova chance de parar deixando algo ainda maior do que já conquistou.

A avaliação das pessoas no esporte é feita, infelizmente, após a morte, aposentadoria ou invalidez. Enquanto ativo, qualquer profissional será julgado o tempo todo, mesmo já tendo passado deste estágio.

Rogério passou. Ele não merece mais ser julgado. Pode ser citado quando falha, criticado até. Mas não há outro rótulo aceitável pra Ceni que não seja o de “mito”.

Por 2 semanas ruins, virou “aposentado”. Na quarta, se parar o ataque do Flamengo, será gênio. E essa avaliação, apaixonante e irritante ao mesmo tempo, move o futebol.

Ele sabe que aos 38, se errar, será aposentado pela mídia. Ele é bem inteligente, bem preparado, tá careca de saber disso. (literalmente, né capitão? rs)

Mas não por 2 jogos ruins. Isso é um crime contra um clube, uma geração e milhões de fãs pelo país.

Numa sequencia longa e com clara falta de reflexo ou preparo físico, fatalmente notaremos. Aliás, espero, ele notará.

E antes que isso aconteça, ele sairá de cena. Porque se tem uma coisa que o Rogério não é, é burro.

Eu pararia agora? Não! Nem a pau!

Pararia em 2008. Ou talvez em março de 2011. Mas agora, criticado, jamais.

Rogério Ceni tem um ego incapaz de aceitar as criticas.

E como a maioria dos que tem ego inflado ele faz o que? Grita? Xinga? Protesta?

Não, ele treina. Porque o ego atrapalha muita gente, mas ajuda quem sabe lidar com ele.

Rogério não falhou porque está “velho” ou “fora de forma”. Ele falhou porque falhou.

Só.

O que infelizmente é uma constatação simples demais pra virar manchete de jornal.

abs,
RicaPerrone