Home » Futebol » Botafogo » Na tática, na sorte e no apito

Na tática, na sorte e no apito

O resultado não diz a verdade sobre o jogo. Aliás, como sempre digo, se analisar jogo pelo placar é muito fácil. A verdade fica escondida, muitas vezes, atrás de um lance perdido, uma bola que não entrou ou um gol irregular.

O Botafogo merece a vaga por ser um time menos qualificado do que Flu e Flamengo. E ao saber disso, se posta de forma pragmática, tática e só. Busca achar um gol e se defender. Não vou reclamar dessa postura do Bota na mesma proporção que reclamaria de SP, Flamengo, Santos ou Corinthians porque realmente o time é tecnicamente mais fraco.

Assim sendo, precisa de mais estratégia pra se tornar competitivo. Não concordo que isso deva ser a filosofia de jogo, mas em uma decisão, faz parte.

O jogo de ontem foi um Fluminense agressivo, que jogou um bom primeiro tempo, que criou, chutou 21 bolas no gol e perdeu um pênalti, que não aconteceu, diga-se.

Um Botafogo extremamente pragmático que calcula seus riscos e que busca, numa mesma jogada, seus gols.

Com um irregular, venceu.

Merecido ou não, é fato que o Bota não foi melhor que o FLumimense no jogo. Como é fato também que o Flu é um time de garotos ainda desequilibrado. Quando muito pressiona, marca mal. Quando marca bem, cria pouco.

E quando fez 2×1, tendo tudo pra matar o jogo, facilitou pro Botafogo e deixou chegar. Levou o gol de empate, novamente foi pra cima, e sofreu um gol irregular. Jogo decidido, opiniões formadas, um monte de “mentiras” baseadas num placar.

O jogo foi muito bom de assistir. Cada um dentro da sua limitação buscou seu melhor. Jogo com chances de gol, 5 gols, penalti perdido, jogo de time grande. Detalhes, como quase sempre, resolveram tudo.

E são detalhes que não cabem ao treinador.

Demitir o Cuca é burrice. O Flu precisa apenas de mais regularidade. Faltam detalhes pra esse time vencer. Joga bem, agride, é bom time, tá cheio de moleque bom de bola. Mas precisa de um ou dois jogadores mais experientes pra comandar a defesa. O time faz, mas toma.

Caso o Bota não tivesse feito o gol irregular e o Fred marcasse de penalti, hoje o Cuca seria ótimo. E nao analiso futebol assim.

O que estava nas mãos do treinador, foi feito. Por ambos os lados. Joel montou o melhor que podia com um time cheio de limitações técnicas. E o Cuca fez o time dele agredir, jogar bola, tentar, mas… não pode controlar um apito e nem um penalti perdido.

Resultado mostra muito. Mas as vezes é igual biquini. Só esconde o que interessa. rs

abs,
RicaPerrone

Comentários