Home » Futebol » Kakás, Ronaldinhos e Diegos

Kakás, Ronaldinhos e Diegos

É comum e até justo que um jogador saia do clube quando seu contrato termine. Como é natural seu direito de deixar uma empresa e ir pra outra quando bem entender. O que existe, sem papeis, no meio disso chamamos de ética, respeito e gratidão.

Coisas que não ficam registradas em contrato, mas que valem muito pra alguns. Kaká e Ronaldinho Gaucho não deveriam ser sequer recebidos em seus ex-clubes. Diego, nem tanto.

Os três casos são bem parecidos. O clube investiu, esperou, programou aquela venda, dependeu dela pra segurar as dividas e… um belo dia, o “craque” diz: “Me vende por preço de banana ou eu saio de graca”.

Assim, na base da chantagem quase.  Mas, são 3 casos diferentes.

Uma coisa tem que ser bem clara antes de qualquer julgamento:  Separar as coisas como são de como deveriam ser.

Todos sabem que ha 20 anos os clubes brasileiros estão literalmente fodidos. Tanto é que viramos literalmente a Copa SP de juniores da Europa. Nego aparece, faz 1 ano e some. As vezes menos. As vezes nem aparece.

Todo time brasileiro deve milhões, e todos eles fecham o ano vendendo uns 3 jogadores pra não levar prejuizo feio. Isso é fato, e nem mesmo estes jogadores desconhecem isso. Portanto, uma coisa é o seu direito, outra coisa é a sua conduta.

Kaka foi um jogador PLANEJADO pelo SPFC desde seus 14 ou 15 anos. Eu ouvi, ninguem me contou, que o clube preparava o Ricardo, um menino que seria produzido em laboratorio. Ou seja, teria intensos treinamentos de fundamentos para se tornar um jogador moderno. Ele ja tinha biotipo e também algum talento. Fizeram dele o atleta ideal.

Projeto do clube, que jamais escondeu que fazia isso para vende-lo a Europa. Prepararam o Kaka para isso.

E eu me recuso a achar que isso é mentira, pois quando me contaram isso ninguem sabia quem era Kaka, e nem nos juniores ele jogava.  Ouvi enquanto ele estava sendo preparado, não depois de ter explodido, portanto, não tem como o sujeito ter me enganado, ja que ele não tem poderes para me antecipar que existiria um jovem brasileiro com o jogo europeu ideal em suas caracteristicas, altura, fundamentos e porte fisico.

Ele sabia, tem familia boa, é bem de vida. Ninguem ali é burro. Sabia que o clube contava com um belo valor em sua venda.

Mas, depois de seguidas atuações RIDICULAS em jogos importantes, a torcida pediu a cabeça. Kaka, que raramente jogava alguma coisa em jogos importantes tirando sua estreia, pediu pra deixar o clube. Disse que “não aguentava mais as vaias”.

A diretoria disse que não. Que renovariam e venderiam ele mais tarde. Aí entra a frase: “Agora ou saio de graça”.

Tem gente que acha bonito ele dar a opcão pro clube. Eu acho mediocre um sujeito que não fez nada pelo clube, foi inventado pelo clube, deve a vida ao clube virar as costas porque não aguenta tomar vaia.

Saiu. Em questão de meses a imprensa europeia debochava o SPFC pelo valor da venda.

Ou seja, a relacão KAKA / SPFC é NENHUMA. Não fez nada la como jogador, fugiu do pau na primeira vaia que ouviu e ainda deixou quem lhe inventou a ver navios.

E isso tudo é publico. Só nao enxerga quem tem amnésia ou pouca informação mesmo.  Tem quem ache normal, tem quem ache que jogador deve algo a quem o revelou. Ainda mais nessa situação onde ele sabe ser a salvação das contas do clube que o acolheu desde moleque, sem saber se ele vingaria ou seria um qualquer.

Sobre o Ronaldinho, ainda pior. Era clarissimo pra todos em Porto Alegre: O Gremio deve X, e vai pagar o que deve com a venda do Ronaldinho. Isso era até dito por dirigentes abertamente.

O que ele fez? Assinou com o PSG sem o Gremio saber e não deu UM REAL ao time que o revelou.

Consequencia? O Gremio se afundou em dividas (ma administraçao dele, sem duvidas), nao teve como pagar e foi parar na serie B. De onde subiu com meritos.

Diego, parecido. Disse que era pra vender por aquela miseria se não ele saia de graça. Errado também, mas com um porém: Diego deu titulos ao Santos. Ficou la pra ajudar e ganhar alguma coisa. Os outros dois usaram de trampolim e correram na primeira chance que tiveram.

Estas são historinhas reais, sem boatos, mas com prazo de validade. Basta um golzinho na Europa e um bom jogo na selecão que todos esquecem disso.

Pensem algumas vezes antes de comparar esses jovens bons jogadores com genios como Zico, Zidane, entre outros.

Em campo e fora dele. Não tem comparação.

Dou todo direito do mundo a você achar natural que seja assim. Mas me dou o direito de não aprovar esse tipo de postura e de não esquecer isso quando este mesmo guri se torna um galático europeu e ídolo do playstation.

abs,
RicaPerrone

Comentários