Não concordo. Mas é óbvio que entre a avaliação que faço daqui e o que eles tem de entendimento ali dentro há uma distância. Nós jornalistas estamos sempre avaliando uma obra com 40% da informação.  O bastidor relevante só nos chega quando vira história, nunca quando é pauta.

Mas pelo campo, ou seja, pelo que parte da torcida cobrava, discordo.

Jorginho não teve resultados ainda, mas o time do Vasco evoluiu uma barbaridade do primeiro semestre pra cá. Joga outro futebol, não passa vergonha, encara todo mundo e tem problemas ofensivos até pela falta de jogadores no setor. Mas num geral, o time melhorou muito.

Esteve a detalhes de fazer 2 viradas heróicas que hoje dariam a ele status de ídolo e não a condição de demitido. Então porque aquela bola passou 2 cm pra lá o trabalho é ruim? Não acho.

Raros foram os jogos que o Vasco não teve a competitividade necessárias ou a chance de vencer. Mas é também uma dose de covardia esquecer o time que ele tem nas mãos e o que esse mesmo time fazia antes dele. Era um festival de goleadas humilhantes. Hoje, um time que tem uma proposta e ainda perde, mas perde com dignidade.

“Ah mas o Vasco não é time pra ficar caindo de pé! É time pra vencer”.

Concordo. Mas dê a ele então um time condizente com a camisa que ele representa. Não é o caso.

Achei precipitada a demissão.

abs,
RicaPerrone