Home » + Chamada » Jogai por nós

Jogai por nós

Pela nossa honra, dignidade e tradição. Pelo verde que ostenta e pelo amarelo hoje representado sem uniforme. O Palmeiras moralizou o futebol brasileiro em diversas categorias numa só partida. E daqui, deste blog, saem apenas os aplausos.

Se quiser uma dose de ar condicionado, hipocrisia e o conceito de que a vida é uma rede social, passeie por elas. Está cheio de gente julgando Felipe Melo, dizendo que ele não deveria dar o soco, ou que o treinador não pode falar assim com a imprensa.

Ora, meus caros. Olha nos olhos de quem vos fala. É o Palmeiras, não um qualquer. Um time que acabara de virar um 2×0 do Penarol lá! Que teve o mesmo final previsivel de quase toda vitória brasileira nos países vizinhos: pancadaria e intimidação.

E então surge Felipe Melo, que é o vilão mais heróico do mundo, e senta a porrada na cara do poodle que corria em sua direção.  O coitado do rapaz estava só correndo porque tinha um time atrás dele. Sozinho, óbvio, não faria. E quando se aproximou, não bateu. Levou.

Quando eu tinha 12 anos meu pai me ensinou que “se a briga fosse inevitável, desse a primeira”. Eu não ousaria imaginar que essa cambada de retardado de rede social que acha que pode pautar o mundo por ali possa entender, até porque para essa gente quando se briga é só dar block.  Mas na vida real é diferente.

Felipe Melo fez o que eu faria. Diante de iminente agressão, se defendeu.  Aliás, só um covarde não faria o que ele fez. E tá cheio.

Covardes como os meus colegas que mentem sob o uso da “preservação da fonte”. A lei mais estúpida das leis, que permite um sujeito denegrir outro sob o argumento de ter uma fonte sem ter que revela-la.  Ou seja, é casa da mãe Joana.

Quero que se dane se foi Juca, alguém da Sportv ou da Globo. Não faz diferença. Assim como generalizamos todos os dias há décadas “o jogador brasileiro”, “o treinador brasileiro”, “o dirigente brasileiro”, eles também podem.  “A imprensa esportiva” é uma merda.  Sim, é.

E a noite palmeirense foi tão memorável, hiponotizante e contagiante que eu diria que há alvinegros e tricolores hoje indo dormir de verde.

Pois eles jogaram pelos 3 pontos deles. Mas brigaram por muito mais do que isso depois. A causa é nossa, o futebol brasileiro é vítima desses dois terroristas: o descaso da Conmebol com nossos times fora de casa e a imprensa que cria problemas e destrói pessoas para sobreviver.

O Palmeiras ganhou as 3 batalhas numa só noite. E com esse volante, essa torcida engajada, esse treinador com sangue nos olhos e os incríveis jogos da primeira fase… quem dirá que não dá pra ganhar a guerra no fim?

abs,
RicaPerrone

Comentários