Home » Futebol » Botafogo » Joel, o “retranqueiro”?

Joel, o “retranqueiro”?

Sim, sim, sim. Joel fez fama de ser retranqueiro com alguma justiça ao longo de sua carreira. Muitas vezes por rótulo passado, outras porque foi mesmo, mas num geral nunca foi um treinador agressivo. Porém, é bom técnico, e raramente pega um timaço pra montar um espetáculo.

Desta vez, no Botafogo “arrumadinho” lá atrás e talentoso na frente, ele surpreendeu. Quando Marcelo Cordeiro se machucou o futebol perguntou ao Joel: O título ou a Libertadores? E a escolha foi bem clara.

Pra quem quer “não perder”, mete um volante ali.  Quem quer ganhar um campeonato tem que arriscar, e Joel meteu o Edno, surpreendente.

Em seguida ele perde o Marcelo Mattos, volante. Vem um beque? Não, vem Caio, atacante.

Ali Joel disse a quem duvidava: “Eu quero ser campeão”.

E não sei se será, como ninguém sabe. Mas sei que está tentando, o que me faz respeitar ainda mais o papai Joel.

Não vou ficar naquele bla bla bla bairrista de “porque o SPFC perdeu”. Na verdade, é simples: O Botafogo venceu.

Foi melhor, se postou melhor, jogou melhor, buscou o gol, está mais bem armado e seu time anda jogando mais bola que o Tricolor. Por isso, só por isso, ou por tudo isso, a vitória de hoje ficou de bom tamanho e dentro da normalidade.

Botafogo e Cruzeiro estão, definitivamente, na briga pelo título.

Um deles, o Cruzeiro, tem contra um fator que considero fundamental, que é a falta de “casa”. E não me refiro a “local onde a torcida seja maioria”, mas sim ao local onde o time se identifica e coloca medo sem nem entrar em campo. Isso é parte de um time grande, e o Cruzeiro terá que ser ENORME pra conseguir ganhar um caneco sem sua casa.

O que não é impossível, pois ele é enorme.

Já o Fogão, desacreditado por muitos, não por este blogueiro que alertou diversas vezes sobre o bom time montado por Joel desde o começo do ano, joga em casa. Joga com euforia e alegria, tendo conquistado hoje 3 pontos sem contar com Mattos, Cordeiro, Somalia e Jobson, mostrando ter, também, um bom elenco.

Não vou chamá-lo de favorito, menos ainda de zebra. Protagonista, sem dúvida.

E merecedor da fase que vive e da posição que ocupa.

É bom demais ver o Botafogo ser Botafogo.

abs,
RicaPerrone

Comentários