Não há jogo ruim em Copa do Mundo. Talvez alguns menos espetaculares dentro dos 90 minutos. Mas nenhum jogo de Copa se resume a 90 minutos. Marrocos e Irã fizeram uma bela estréia de quem se despede da Copa.

Já viram isso?

Pois bem.  Os dois sabem que serão eliminados. Não é um Grupo, é um convite ao saldo de gols. Portanto, sabendo de tal condição e a espera de um milagre, poderiam mais do que jogar, se divertir.

Não fizeram. Transformaram sua única partida jogável em algo chato e pragmático. Poderiam ter saído de lá com um 4×4 e feito algo mais do que toda essa cerimônia pra empatar em 0x0, o que não aconteceu graças a um erro do zagueiro aos 50 do segundo tempo.

É respeitável e admirável a forma com que no futebol o mais pré-derrotado time se porta como quem luta por algo maior. O futebol permite. E só o futebol.

Irã e Marrocos não irão a lugar algum. Mas jogaram como se tivessem algo a perder. Já dizia aquele ícone de sabedoria popular: “Não acho que quem ganhar ou quem perder, nem quem ganhar nem perder, vai ganhar ou perder. Vai todo mundo perder”; Dilma.

abs,
RicaPerrone

Compartilhe!