Convenhamos, é  engraçado. Convenhamos também, é bastante idiota. Uma coisa não separa a outra, vide os maiores sucessos no youtube, os programas de humor da tv, etc. Você pode ser engraçado e idiota ao mesmo tempo.

Outra coisa que você pode ser ao mesmo tempo é machista e idiota.  O que acho que não é legal sermos é oportunistas. E explico nas linhas abaixo onde quero chegar.

A “brincadeira” com a russa é agressiva. Ela está sendo “zoada” mundialmente sem saber. Talvez ela tope, talvez não. A falta de ter perguntado isso torna a brincadeira idiota.

Acho que dito isso zeramos a discussão sobre certo e errado. Vamos então para a reação ao vídeo.

Existem dezenas de vídeos espalhados pela web nos últimos 10 anos onde o brasileiro faz isso com gringos. Em 95% dos casos são homens. Na maioria deles são bobagens como futebol, “palmeiras não tem mundial”, “segue o líder”, essas coisas. Mas há casos onde se reune japoneses pra gritar “peru pequeno”, outros onde juntaram vários gringos na Copa do Brasil e os fizeram cantar palavrões.

Existem vídeos e mais vídeos de brasileiros sacaneando outros homens pelo mundo. E nunca isso causou qualquer comoção em relação a  respeito e etc. Hoje, com uma mulher, a idiotice mudou de nome e virou “machismo”.

O fato dele ser idiota e da vítima ser mulher não torna uma atitude machista.  Seria se ele fizesse com mulheres apenas ou preferencialmente. Mas não, a brincadeira é feita com homens na enorme maioria dos casos, tão ofensivas quanto ou mais, e jamais causou uma virgula de polêmica.

E então eu questiono a honestidade do protesto.

Ou você briga por respeito, ou briga pela causa. Quando você só se se comove com um dos alvos, você está sendo seletivo. E isso quebra qualquer conceito das lutas por “igualdade”, que seria em tese a bandeira do feminismo.

A brincadeira pode e talvez deva ser criticada por ser debochada sem a permissão do debochado. Mas que importa se é homem ou mulher a “vítima”?

Porque os mortos de Paris em atentados nos comovem e os da Nigéria não nos causam nada? Porque na Nigéria morrem sempre. Isso torna nossa dor ilegitima? Não. Mas torna bem seletiva e um tanto quanto hipócrita.

Não é machismo, nem novidade. Aliás, não é machismo exatamente por não ser novidade.

É só idiotice.

abs,
RicaPerrone

Compartilhe!
  • 570
    Shares