Home » Futebol » Clubes » Cruzeiro » Guerra sim senhor!

Guerra sim senhor!

Cuidado. O mundo hoje está cheio de gente que abraça arvores e quer ensinar você a combater o mal com “amorzinho”. Estão tentando te vender fofura até quando você está sendo estuprado. Tadinho do estuprador, ele não teve chance na vida.

Enfim. Eu não sou dessa turma e eu acho que justiça funciona mais do que amor.

O que você está lendo por aí é que o Cruzeiro deve ser superior. E ser superior, neste caso, é ser otário.  O sujeito que toma um tapa e devolve com um abraço não é superior, é apenas um frouxo.

Inferno sim senhor!

É assim que somos tratados lá, é assim que devemos receber aqui. Não é violência, isso é burrice porque o prejudicado será o Cruzeiro. Mas pressão, nenhuma facilidade e eles tem que ter aqui o medo que temos de jogar lá.

São décadas sendo recebido a pedrada e cuspe pra dar hotel 5 estrelas e segurança pra eles quando vem aqui. Quem vocês acham que é o gordinho “paga lanche” da América do Sul?

Tá bom, tem pai que vai dizer pro gordinho “deixar pra lá”. Eu não seria esse pai.

Eles não dormem. Eles não chegam no hotel sem transito. Eles atrasam pra chegar no estádio. Eles não treinam no gramado. Perde-se a chave do vestiário. Pinta o vestiário. Sim, é antigo, foda-se, mas é o que eles propõem.

Esse jogo de quinta-feira representa mais do que uma vaga pro Cruzeiro. Representa a Conmebol rir na nossa cara do segundo time que ela elimina nosso na Libertadores só em 2018, ou então a redenção cruzeirense.

Quando um time brasileiro ganha a Libertadores ele a venceu “pra caralho”. Nada nos ajuda, é sempre tudo mais difícil e somos quase sempre os idiotas a ter que bater escanteio sob pedras e aqui devolvemos com flores.

Entre o educado e o otário há uma linha tênue. Cuidado pra não atravessar pro lado errado.

Sem violência, mas fecha a porra da cara que isso não é um piquenique.

Abs,
RicaPerrone

Compartilhe!
  • 1
    Share