Eu não vou ser covarde de atrelar tudo isso a um jogo domingo e ter que me dividir entre ficar mudo e detonar tudo. Prefiro falar independente do resultado.

É quase dezembro. O Fluminense se arrastou mais um ano na direção que é levado administrativamente embora sua camisa ainda puxe pro outro. Sem ousadia, sem entender o tamanho do que administra, o clube hoje é absolutamente rebaixável.

Não paga há meses, não tem patrocinador, não faz idéia do que fazer pra sair desse cenário, não tem ídolos no elenco, quase nenhum jogador notável e está há 7 rodadas brincando com o rebaixamento.

Não faz gols, portanto não vence. E após mais de um mês levando com a barriga, se vê diante de um jogo decisivo que pode leva-lo a uma final e outro que pode rebaixa-lo.

Por isso escrevo hoje. Porque no domingo que vem o Flu pode estar na série A e finalista da Sulamericana perto de uma Libertadores. Sim, pode acontecer. Vou além, torço pra que aconteça.

Mas todos os argumentos para explicar uma queda estão preenchidos. Administração ruim, elenco fraco, falta de perspectiva, salário atrasado, sem dinheiro, desconexão com a torcida, enfim, um clube perdido e pendurado pela grandeza de si mesmo.

Não fosse o Fluminense tão Fluminense, teria perdido até status. Talvez estivesse em cenário bem pior. Sua camisa é maior do que seu próprio clube hoje consegue enxergar. E é isso que faz milhões de pessoas estarem esperando algo de quarta-feira e domingo.

Esse Fluminense é pior do que parecer pequeno. Ele se vê pequeno.

E não é.

RicaPerrone

Compartilhe!
  • 1K
    Shares