Home » Futebol » Faça o que eu digo, mas…

Faça o que eu digo, mas…

A Sandy de prancheta ataca novamente.  Perfeito, ético, vencedor, pouco contraditório, único sem esquema, aquele que tem relação custo beneficio e ainda “respeitascaracteristicadojogadô” está dando uma nova dica de como salvar o futebol que ele ajudou a destruir.

Em matéria no GloboEsporte.com ele diz que é a favor de uma lei que preserve o emprego d0s treinadores e que faça os clubes pagarem mesmo se eles forem demitidos.

Segundo a “Musa do Brasileirão”, aquele que achava um absurdo, em 2007, os “técnicos que ganham 500 paus por mes” e hoje ganha mais de 700,  ele acha que o problema é cultural.

Assim como diz por aí que “lá na europa é fácil”, que “libertadores é sorte”, e outras pérolas que ele invariavelmente mudam conforme convém e a mídia diz amém.

Eu pergunto ao meu caro Muricy: E quando um técnico tem contrato com um clube, recebe oferta de outro, aceita, sai do atual, mete a culpa numa lenda qualquer e vai ganhar a Libertadores (já na metade) pelo clube novo?

Ele deve ter uma lei que divida o título com o ex-técnico?  Deve, talvez, receber só meia medalha?

Ou talvez pagar ao clube que deixou uma multa até que ele volte a se organizar?

Pois defender o direito dos técnicos é absolutamente natural. Mas e quando estes são os vilões? Como fica o clube, real patrimônio do torcedor?

Outro dia bateu em Raphael Prates, repórter da Globo, citando que tinha feito um grande jogo, que o resultado não era o mais importante.

Mesmo técnico que deu patada em outro jornalista dizendo que espetáculo é no municipal, não no campo.

Afinal, o que você pensa, Muricy? O que convém hoje ou há uma linha?

Não era um absurdo um ‘treinadô’ ganhar 500 paus por mes, como você insinuava morrendo de inveja do Luxemburgo na época? Agora você acha natural, então?

E futebol conta o jogo ou só o placar?

E quando o técnico larga o clube com oferta rival, dizendo não ter recibo, mas já tendo recebido e dito “sim”?

O que acontece?  Sugere algo pra FIFA também, professô?

Nada contra. Só me bateu a curiosidade mesmo…

abs,
RicaPerrone 

Comentários