Home » Futebol » Fabão air de Boer, o mito

Fabão air de Boer, o mito

Eu tenho 30 anos. Trabalho com futebol ha 12, vivo este meio ha 30. Vivi muita coisa legal, muita coisa triste, falei muita merda, acertei um monte, mudei de idéia e já fiz site, rádio, produção de Tv, etc. Conheci muita gente famosa, outras nem tanto. Algumas antes da fama, outras só depois. Muitas decepcionam, outras surpreendem.

Guardo idolos, amigos e alguns “inimigos”. Mas, de todos estes anos, a história que guardo com maior carinho é a do Fabão. Não conhece? Então eu vou contar.

Quando eu comecei a fazer a rádio, ainda na SPNET, milhares de sãopaulinos ouviam e liam as colunas. Meu senso critico sempre despertou raiva de muitos, afinal, criticar no futebol machuca. Mas, eu sempre tive uma tendencia a reavaliar algo que é muito repetido por ai. Não porque toda unanimidade é burra, mas porque não gosto de julgar por ouvir dizer, esporte nacional.

Comecei a notar que o Lugano era um zagueiro de raça, mas que jogava na sobra daquele time. Que quem batia de frente era o Fabão. Que quem ia no combate com o atacante, era sempre o Fabão. Quem levava o drible era o Fabão. Quem corria o tempo todo era o Fabão.

Quem fazia gol de cabeça era o Fabão. Quem batia faltas, mesmo mal, e ainda assim tentava, era o Fabão.

Que naquele time tinha um cara que não pedia aumento, que era um amigo de todos do grupo, que adorava o SPFC, que treinava forte e que jogava no limite da técnica que tinha, era o Fabão.

Não que o Lugano seja ruim, pelo amor de Deus. Mas era mais dificil pro Fabão, que dava o combate, do que pro Lugano, que ficava na sobra.

Eu tinha uma certa sensação de injustiça com a fama ir toda pros outros, até pro Alex Bruno, menos pro “negão”.

Um dia, numa atuação de gala do zagueirão, brinquei na coluna e na rádio chamando de Fabão de Boer, em comparação ao Frank de Boer, um dos melhores zagueiros que vi jogar.

A piadinha foi pegando, e eu passei a chama-lo apenas de Fabão de Boer.

Veio a Estação Tricolor e continuou. Era Fabão de Boer na capa, na rádio e nos textos do site. Até que a torcida começou a falar isso por ai. E fui eu quem criei isso, sem querer quase.

Mas, sem hipocrisia, sempre elogiei e fiz questão de exalta-lo, pois considero um belo jogador e um cara sensacional. Não era piada, eu realmente sempre fui fã do Fabão, desde o Flamengo.

E quando o conheci no CT, fiquei mais fã ainda. É um puta sujeito.

A coisa foi indo, as piadinhas aumentando, até que um dia um grupo de amigos tricolores de Porto Alegre me ligam. “Fizemos uma bandeira pro Fabão. Queremos que ele veja”.

Imediatamente eu falei: Manda pra ca que eu dou um jeito de meter isso na arquibancada. Ele merece ser aplaudido.

Porque?

Porque se uma bandeira com o rosto dele aparece na torcida apos uma vitoria, fatalmente o estádio todo irá gritar seu nome e, pela primeira vez, ele sentirá o status de ídolo num clube. E eu adoraria fazer parte disso.

Pois bem, num SP x qualquer coisa, conseguimos entrar com a bandeira dando um olé na PM. Passamos o jogo segurando ela e gritando por ele. Ele não via.

Quando acabou o jogo, ele veio na direção da bandeira e chorando ouviu o estádio inteiro gritar seu nome, enquanto a turma da Et, com a bandeira nas mãos, quase chorava junto de alegria em ter conseguido homenagea-lo.

A partir dai, Fabão foi virando idolo. Até que no DVD do tetra aparecem torcedores na arquibancada falando:  “Fabão de Boer!”. Pegou.

E ele faz o gol do titulo contra o Atlético PR. Vira personagem do DVD, com o apelido sendo citado.

Um dia ele foi na rádio ET. E enquanto brincavamos com ele, o Daniel, que fazia a radio conosco, disse pro Fabão:

“Cara, sem brincadeira. O Perrone não ta zoando. Ele é seu fã mesmo, de verdade.”.

Ele se emocionou, me disse que era pra eu ir no Ct buscar uma camisa dele. Nunca fui pegar, mas nem precisa. Tenho uma numero 3 escrito Fabão de Boer nas costas até hoje.

A bandeira está aqui ainda. Ele foi vendido e não consegui enviar pra ele. Mas, lembrando disso tudo, do quanto foi divertido ajudar um jogador a ser reconhecido pela torcida e tudo mais, eu vou até Santos entregar a bandeira pro Fabão nos próximos dias.

E aí eu coloco foto aqui, ou até uma entrevista com o ídolo.

Fabão Air de boer!!! Único jogador com 2 gols em finais de Libertadores, outro na decisão do Brasileirão 2006.

Pena que não vive grande fase. Mas é um puta cara. Sou fã, de verdade.

abs,
RicaPerrone

Comentários